Verba volant, scripta manent

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Verba volant, scripta manent é um provérbio em latim. Traduzido literalmente como "palavras faladas voam para longe, palavras escritas permanecem" ou [1] "as palavras voam, os escritos ficam"[2] ou simplesmente "as palavras voam, mas permanecem quando escritas".

Esta frase, que parece ter origem em um discurso de Caio Tito do Senado romano[3] e outras vezes é tida como de origem desconhecida[4], sugere que as palavras faladas podem ser facilmente esquecidas, mas os documentos escritos sempre podem ser conclusivos em assuntos públicos. Um significado relacionado é que se duas pessoas querem estabelecer um acordo formal sobre algo, é melhor colocá-lo por escrito, ao invés de apenas ter um acordo verbal. Pode também referir-se ao aumento subsequente da recordação das palavras que estão escritas do que aquelas que são meramente faladas ou pensadas.

Referências

  1. John G. Robertson (1991). Robertson's Words for a Modern Age: A Cross Reference of Latin and Greek Combining Elements. Senior Scribe Publications. pp. 253–. ISBN 978-0-9630919-1-8.
  2. Maria Helena de Moura Neves (2003). Guia de uso do português: confrontando regras e usos. Editora UNESP. p. 781. ISBN 978-85-7139-457-5.
  3. Anthony Trollope (2014). The Last Chronicle of Barset: The Chronicles of Barsetshire. OUP Oxford. p. 759. ISBN 978-0-19-166346-8.
  4. Peter Archer; Linda Archer (2012). 500 Foreign Words and Phrases You Should Know to Sound Smart. Adams Media. p. 202. ISBN 1-4405-4107-8.