Yersinia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma caixa taxonómicaYersinia
Yersinia pestis fluorescente

Yersinia pestis fluorescente
Classificação científica
Reino: Bacteria
Filo: Proteobacteria
Classe: Gamma Proteobacteria
Ordem: Enterobacteriales
Família: Enterobacteriaceae
Género: Yersinia
Espécies
Y. pestis

Y. enterocolitica
Y. pseudotuberculosis
Outros

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Yersinia

Yersinia é o nome de um gênero de bactérias. Algumas espécies de Yersinia causam infecções no ser humano. Estas são zoonóticas (são transmitidas entre o Homem e outras espécies de animais). No entanto, há casos em que o Homem se torna num hospedeiro acidental. Hoje em dia são conhecidas cerca de 10 espécies dentro deste género, sendo 3 delas potencialmente patogénicas - Y. pestis, Y. enterocolitica, Y. pseudotuberculosis.[1]

Yersinia pestis[editar | editar código-fonte]

Morfologia[editar | editar código-fonte]

Bacilo gram negativo, não flagelado, com cápsula.

Transmissão[editar | editar código-fonte]

A peste negra é primariamente uma doença de roedores (ratos), e entre eles a transmissão ocorre por contacto directo ou através das pulgas que neles se alimentam. Esta doença pode alastrar-se a outras espécies animais através da cadeia alimentar. A transmissão nos humanos ocorre por contacto com os roedores infectados ou através da picada de uma pulga contaminada. Normalmente a transmissão entre humanos não se dá, a menos que o indivíduo infectado tenha um envolvimento pulmonar.

Patogenia[editar | editar código-fonte]

A bactéria atravessa a pele através de uma lesão que possa existir, sendo normalmente o local da picada da pulga. De seguida, a bactéria vai acumular-se nos nódulos linfáticos locais, onde se irá multiplicar, desenvolvendo-se também no tubo digestivo. Em 90% dos casos, a infecção pela Y.pestis resulta numa infecção bubónica. Neste tipo de infecção o tempo de incubação é de 7 dias após o contacto com a bactéria.

Os sintomas são: febre, observando-se nódulos linfáticos edemaciados e hemorrágicos (bubões) de um tom azulado/negro.

Quando não sujeito a tratamento, cerca de ¾ dos doentes morre por septicemia. Nos restantes casos, a infecção pode afectar os pulmões, sendo o tempo de incubação apenas de 2/3 dias. Neste tipo de infecções o doente é altamente contagioso por via aérea.

Os sintomas são: febre, mal-estar, e lesão pulmonar. Quando não sujeitos a tratamento, cerca de 90% dos casos são fatais.

Terapia[editar | editar código-fonte]

Além do tratamento sintomático, há ainda administração de antibióticos tais como: Estreptomicina, tetraciclina e Cloramfenicol nos casos de meningite. Em casos de infecções pulmonares, o doente deverá estar em quarentena pelo menos 6 dias.

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

O agente patogénico deve ser identificado através de cultura e pesquisa microscópica do sangue extraído de um bubão.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. CDC - Yersinia: General Information
Ícone de esboço Este artigo sobre Bactérias é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.