Cristal (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cristal
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 60 minutos
Criador(es) Delia Fiallo
(obra original)
Anamaria Nunes
(adaptação p/ o Brasil)
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Herval Rossano
Mayara Magri
Del Rangel
Jacques Lagoa
Luís Antônio Piá
Elenco Bete Coelho
Dado Dolabella
Bianca Castanho
Giuseppe Oristânio
Marisol Ribeiro
Eliana Guttman
Alexandre Barillari
Bárbara Paz
Pepita Rodrigues
Vera Gimenez
ver mais
Tema de abertura "Está escrito", Dado Dolabella
Tema de
encerramento
"Está escrito", Dado Dolabella
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil SBT
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 5 de junho de 200628 de outubro de 2006
N.º de episódios 124 (original)
123 (primeira reprise)
Cronologia
Último
Último
Os Ricos também Choram
Maria Esperança
Próximo
Próximo
Programas relacionados Cristal (1985-1986)
El privilegio de amar (1998-1999)
Triunfo del amor (2010-2011)

Cristal foi uma telenovela brasileira produzida pelo SBT em parceria com a Televisa, e exibida entre 5 de junho e 28 de outubro de 2006, totalizando 124 capítulos,[1] não cumprindo com o proposto inicialmente — a previsão era de 203 episódios.[2] Baseada na telenovela Triunfo del amor , de Delia Fiallo, teve tradução de Henrique Zambelli e foi escrita por Anamaria Nunes com colaboração de Maria Lúcia Dahl, Eleusa Mancini e Rogério Garcia e supervisão de texto de Thereza di Giácomo. A direção ficou a cargo de Herval Rossano, Mayara Magri, Del Rangel, Jacques Lagoa, Luis Antônio Piá, com direção geral de teledramaturgia de Herval Rossano e David Grinberg.[1]

Apresentou Bianca Castanho, Dado Dolabella, Bete Coelho, Bárbara Paz, Giuseppe Oristanio, Victor Wagner, Olivetti Herrera, Sabrina Greve, Greta Antoine, Guilherme Trajano, Giane Albertoni, Alexandre Barillari, Eliana Guttman e Marisol Ribeiro nos papéis principais da trama.

Foi reprisada entre 30 de maio e 22 de novembro de 2011, em 123 capítulos, substituindo Maria Esperança e antecedendo Fascinação.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em 1985, Delia Fiallo escreveu Cristal para a rede venezuelana RCTV tendo sido protagonizado por Lupita Ferrer e exibido entre 5 de agosto de 1985 a 12 de julho de 1986, em 246 capítulos.[3] A Televisa, parceira do SBT, também produziu um remake desta obra, O Privilégio de Amar, exibido entre 1998 e 1999 e que foi protagonizado por Adela Noriega e foi apresentado várias vezes pelo SBT, que assinou um contrato de cinco anos com a Televisa em abril de 2001 que faria o SBT desembolar cerca de US$ 200 milhões em compras de textos e dublagens de novelas mexicanas.[4] Pícara Sonhadora, Amor e Ódio, Marisol, Pequena Travessa, Jamais Te Esquecerei, Canavial de Paixões, Seus Olhos, Esmeralda, e Os Ricos também Choram foram produzidas, sendo Cristal a décima produção da parceria.[2]

Produção[editar | editar código-fonte]

A partir da esquerda, Marisol Ribeiro (Marión), Dado Dolabella (João Pedro) e Bianca Castanho (a Cristal do título).

Cristal foi produzida em 2006, mas o SBT pretendia fazer seu remake antes, porém teve problemas em conseguir a liberação do texto, a semelhança da produção anterior da emissora Os Ricos também Choram que teria um remake em 2003, mas só conseguiu o texto em 2005, ano em que foi ao ar.[5] Ainda, Silvio Santos suspendeu a versão brasileira pois teria muito gasto com a produção. O elenco demorou para ser fechado e desde então a novela foi adiando sua estreia.[2] Cristal teve investimentos grandes e foi a primeira novela a ser gravada com câmeras digitas de alta definição, com custo médio de 1,2 milhão de reais.[2] Cada capítulo da novela inicialmente seria de R$ 70 mil,[6] [7] [8] mesmo orçamento de Os Ricos também Choram, mas posteriormente o orçamento de Cristal triplicou para R$ 190 mil.[9] [10] O diretor Herval Rossano, que estava sem trabalho na Rede Bandeirantes e seu último trabalho era A Escrava Isaura na Rede Record, foi contratado pelo SBT e sua presença na emissora modificou toda a produção da telenovela, desde a iluminação e figurino, até a troca de atores e diretores.[2] Entre as mudanças, as primeiras cenas da novela já haviam sido gravadas, mas Herval Rossano resolveu gravar de novo o primeiro capítulo, por causa da mudança de atores.[2] Herval Rossano deixou a direção da novela em junho de 2006 em razão de uma pneumonia.[11] No mês de julho, Silvio Santos se reuniu com Herval e decidiu que o texto do folhetim seria reescrito. As cenas que já estavam gravadas iriam ao ar, mas a trama mudaria nas próximas semanas.[12] Mas uma segundo decisão do conselho executivo da emissora optou pelo afastamento de Herval Rossano e sua mulher, Mayara Magri, que atuava como diretora-assistente, e volta ao comando do núcleo de teledramaturgia o diretor David Grinberg, que estava ausente da emissora por motivo de férias. Em sua nota, o SBT afirmou que "o contrato do diretor Herval Rossano será honrado pela emissora", e que a decisão de permanecer ou não no quadro de funcionários será exclusivamente dele.[12] Junto com Herval, saiu também sua esposa, Mayara Magri, que o auxiliava na direção.[13] Antes de sua saída, Mayara estava se desentendendo com a equipe da novela.[13] Um dos motivos seria o fato dela querer sempre fazer valer sua opinião, se sobrepondo até mesmo ao marido.[12]

Para viver os protagonistas da novela foram escalados Bianca Castanho e Rodrigo Veronese e Dado Dolabella seria o antagonista.[6] Mas a produção decidiu que Dado seria o protagonista e Veronese entrou na justiça contra o SBT, alegando ter feito provas de figurino e testes de câmera, explicando que ficou sabendo que não faria mais o protagonista por reportagens da imprensa.[14] A abertura da novela, que representava um desfile de moda, teve as cenas mostrando um desfile com 20 modelos, entre elas as atrizes Bianca Castanho, Gianne Albertoni, Vanessa Pietro e Juliana Almeida. O figurino usado veio da coleção inverno 2006 da estilista Glória Coelho.[8] Esta foi a terceira vez que a atriz Bianca Castanho protagonizou uma telenovela no SBT, fato este ocorrido em Canavial de Paixões, e em Esmeralda. Para interpretar a personagem-título, Bianca Castanho mudou o visual e fez laboratório. Como a personagem é modelo, ela aprendeu como agir nas passarelas.[2] Bianca deixou chorando o estúdio da novela durante uma gravação com Dado Dolabella, ele não havia decorado o texto e queria gravar a cena por partes. Bianca ficou irritada e o deixou falando sozinho.[15] Durante uma gravação na noite de 27 de junho de 2006, o ator Giulio Lopes, contracenando com Bete Coelho e Giuseppe Oristânio, sofreu um acidente vascular cerebral (derrame cerebral), nos estúdios do SBT, em São Paulo. Em seu lugar, entrou o ator Paulo Reis, que fez as vezes do personagem de Giulio Lopes. Recuperado, depois de um mês e meio ausente, o ator voltou à novela, mas seu personagem logo saiu de cena novamente.[2] Última telenovela do ator Serafim Gonzalez que faleceu de insuficiência respiratória em 29 de abril de 2007.

A princípio, Cristal estrearia em março,[16] abril, mas foi adiada pela primeira vez para maio, substituindo Mariana da Noite.[6] Porém, como o SBT achou que, se a novela estreasse antes ou durante a Copa do Mundo FIFA de 2006, a audiência cairia, decidiu adiar novamente e a telenovela estrearia após o evento esportivo. Mas não demorou muito para a emissora antecipar a data de estreia para quatro dias antes do início da Copa do Mundo. No início da produção, a expectativa em torno da trama era tanta que foi cogitado levar ao ar um total de 203 capítulos, prevendo que a novela tivesse seu último capítulo exibido no sábado do dia 27 de janeiro de 2007. Mas o fraco desempenho da trama fez com que a história se encerrasse no capítulo 124, ou seja, a novela foi encurtada em 78 capítulos.[2]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Foi a primeira resposta da dramaturgia do SBT a então subida de produção da Rede Record, contratando ex-globais como: Herval Rossano, Dado Dolabella, Bete Coelho, Alexandre Barillari, Eliana Guttman, Pepita Rodrigues, Giuseppe Oristânio, Vera Gimenez, Marisol Ribeiro, Bianca Castanho, Serafim Gonzalez, Giselle Policarpo e Cláudio Curi, somando 56 atores no elenco.[10] Mesmo assim não obteve êxito no IBOPE, cuja estreia em 5 de junho teve média de 9 pontos e registrou pico de 12, fechando em terceiro lugar, no mesmo horário em primeiro e segundo lugar, respectivamente, ficaram Cobras & Lagartos, com 36 pontos, e Prova de Amor, com 14.[10] Chegando a registrar apenas 4 pontos quando enfrentou o último capítulo de Prova de Amor em 17 de julho,[12] sendo que a espectativa da emissora era de 10 pontos,[13] no SBT, versões otimistas apontaram que o fiasco de Cristal teve a ver com a Copa do Mundo e a reta final de outras novelas, como Belíssima e Prova de Amor.[17]

Enredo[editar | editar código-fonte]

São Paulo, 2006 - Renomada empresária da moda, Vitória Ascânio (sobrenome de casada) é proprietária da "Maison Vitória", prestigiada grife de alta costura. Poderosa e dominadora, quem conhece a sofisticada Vitória de hoje jamais poderia suspeitar de seu passado. São Luís do Paraitinga, 1984 - Vitória da Silva não passava de uma empregada doméstica na casa de dona Luísa, mãe de Ângelo de Jesus, jovem com vocação religiosa e seu amor impossível da juventude. Antes do ingresso do rapaz ao seminário, Ângelo e Vitória têm sua primeira noite de amor, sendo ambos ainda virgens. Como resultado desta aventura, Vitória engravida. Após ser humilhada por dona Luísa, Vitória é expulsa da casa da patroa. E, para evitar que o filho abandone a carreira sacerdotal, o que sempre almejou para ele, Luísa esconde dele a existência dessa criança. Após dar à luz uma menina, Vitória, sem condições de criar a filha, vê-se obrigada a deixá-la na porta de uma rica mansão. Ao contrário do que ela esperava, a menina é entregue pelo casal da mansão às autoridades e encaminhada para o "Orfanato Bom Pastor". Criada e educada pelas freiras, Cristina, a filha de Vitória, torna-se uma linda jovem, com sólida formação moral.

22 anos depois, Cristina divide um apartamento com duas amigas, Zoraide e Inocência, trabalha num banco e sonha ser modelo. Logo Cristina é contratada por Vitória para ser sua modelo, sem que as duas conheçam suas ligações familiares.

Embora casada com Alex Ascânio, um famoso ator, e mãe da mimada Eliana, Vitória jamais esqueceu a filha abandonada e sempre tentou reencontrá-la, mas nunca descobriu nada sobre ela. Assim, Vitória procura Ângelo, hoje um respeitado padre, e finalmente ele toma conhecimento da filha. Chocado, porém feliz com a descoberta, Padre Ângelo decide ajudar Vitória na sua busca pela filha.

Luísa toma conhecimento da reaproximação de Vitória e Padre Ângelo e, investigando, descobre antes dos dois que Cristina é a filha perdida de Vitória. Porém, Luísa conta ao filho toda a verdade em confissão. Assim Padre Ângelo fica impedido de revelar a verdade para Vitória, por ele ser padre e não poder relatar as confissões dos fiéis.

Em pouco tempo, Cristina torna-se Cristal, uma das principais modelos da "Casa Vitória" e se envolve com João Pedro, o enteado de Vitória. Os dois têm um romance que, de uma aventura se torna um sincero amor. Cristina acaba esperando um filho de João Pedro. Momentos antes de revelar este fato a João Pedro, ele a surpreende informando que se casará com Marión, sua noiva, e que voltou do exterior dizendo estar esperando um filho dele.

Decepcionada, Cristina decide esconder sua gravidez de João Pedro e de Vitória. Ela descobre o envolvimento do enteado com a modelo e, julgando-a interesseira, a demite da empresa. Sem saber, Vitória comete uma grande injustiça com a própria filha,sem saber os laços de sangue que a une com Cristina, passando a perseguí-la e usando seu poder para impedir que Cristina arranje novos trabalhos. E o pior é que a mãe de Ângelo, Luísa,que sempre odiou Vitória, voltará dizendo a Cristina que quer a guarda de sua filha, revelando a ela que é sua avó, portanto bisavó da menina que Cristina acabara de parir. Cristina fica sem entender nada, e Luísa não diz quem são seus pais, falando só que é mãe de seu pai. Com medo, Cristina viverá um inferno nas mãos de Luísa!

Com uma filha recém-nascida e desempregada, Cristina se vê na mesma situação da mãe antes de seu nascimento. Porém, com o apoio das amigas, do Padre Ângelo e do fotógrafo Adam, Cristal resistirá à vingança de Luísa, as maldades de Marión e a ira de Vitória, provará a todos que o brilho de seu "cristal" é superior à sua fragilidade. No fim, Vitória se arrepende de tudo o que fez e descobre que Cristina é sua filha. Cristina se casa com João Pedro, e Marión volta para o exterior após descobrirem que ela não estava grávida, que era tudo um golpe por dinheiro. Cristina se torna a melhor amiga de sua meia-irmã Eliana. E Ângelo fica amigo de Vitória, e eles veem que nunca será possível eles ficarem juntos, por ele ser padre e por Vitória descobrir que realmente ama seu marido, e descobrem juntos que só se envolveram pois era um plano de Deus para que Cristina existisse e fizesse o bem como "sempre" fez.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Bianca Castanho interpretou Cristal.
Bárbara Paz interpretou a Inocência.
Dado Dolabella, no lançamento da novela, interpretou João Pedro.
Giuseppe Oristânio interpretou Alex Ascânio.
Marisol Ribeiro foi A vilã Marión.
Bete Coelho interpretou Vitória .
Eliana Guttman interpretou Luísa de Jesus
Ator Personagem
Bianca Castanho Cristina da Silva de Jesus (Cris/Cristal)
Bete Coelho Vitória da Silva Ascânio
Dado Dolabella João Pedro Ascânio
Marisol Ribeiro Marión Bandeira de Carvalho
Alexandre Barillari Gustavo Palhares
Bárbara Paz Inocência Pérez
Giuseppe Oristânio Alex Ascânio
Victor Wagner Padre Ângelo de Jesus
Eliana Guttman Luísa de Jesus
Sabrina Greve Zoraide Reis (Zora)
Greta Antoine Eliana da Silva Ascânio (Ely)
Vitória da Silva (jovem)
Olivetti Herrera Lino Barros
Gianne Albertoni Dominique
Luciene Adami Laura
Martha Mellinger Berta Girot
Marcelo Várzea Piero
Gisele Policarpo Carmelina Alves (Lina)
Guilherme Trajano Adam Freitas
Pepita Rodríguez Vivian Freitas
Daniel Alvim Dario
Jonas Mello Fonseca
Patrícia Mayo Elizete Barros (Zete)
Haydée Figueiredo Filomena
Aldine Müller Madre Montserrat
Cláudio Curi Padre Francisco
Míriam Mehler Purificação (Puri)
Vera Gimenez Lucélia Bandeira de Carvalho
Chica Lopes Balbina
Patrícia Vilela Raquel
Rejane Arruda Antônia Fonseca
Carlos Dias Rodrigo Pérez
Monalisa Gomez Lisa
Luiz Baccelli Erasmo Bandeira de Carvalho
Jardel Mello Rodolfo
Juliana Almeida Paola
Vanessa Prieto Bijou
Leandro Marinho Delgado
Alexandre Carlomagno Aloísio
Vinícius Gomez Gabriel (Gabo)
Mariana Guivez Mimi
Nara Gomez Irmã Piedade
Eugênia de Domênico Celina
Giulio Lopes Régis
João Bourbonnais Marcos Bueno
Valéria Sândalo Ceição
Maria Célia Camargo Leonor
Rodolfo de Freitas Beto
Camila Tancredi Nancy
Ricardo di Giácomo Jacob
Geisa Gama Josefa
Ricardo Monastero Ângelo de Jesus (jovem)
Silvinha Faro Mônica
Veridiana Toledo Rosa
Daniel Henarez Tião
Adriana del Claro Pérola

Elenco de apoio[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Rosaly Papadopol Dona Pina
Eduardo Martini Ribeiro
Neco Villa-Lobos membro do AA
Hélio Cícero César
Matheus Aguiar Lobato
Paulo Reis Roberto (substituindo Régis)
Rafael Miguel Bentinho
Ricardo Villani Rick
Serafim Gonzalez Bispo

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  1. "Está escrito" - Dado Dolabella
  2. "Perdas e ganhos" - Liah
  3. "Versos de amor" - Margareth Menezes
  4. "Se ela dança eu danço (Ela só pensa em beijar)" - MC Leozinho
  5. "A falta que a falta faz" - Jay Vaquer
  6. "Sonhos" - Akústica
  7. "Eu preciso te esquecer" - Cláudia Telles
  8. "Imensidão" - Flávia Wenceslau
  9. "Eu estarei pensando em você" - Yahoo
  10. "Meia-noite" - Hervah
  11. "História do mundo" - Vega
  12. "Vai entender" - Banda Roxx
  13. "Um sonho de amor" - Lello Calegari
  14. "Gozos da alma" - Francis Hime
  15. "Quase enlouquecendo" - Atitude 4
  16. "Está escrito" (Versão 2) - Dado Dolabella

Outras versões[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Cristal Teledramaturgia. Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  2. a b c d e f g h i Cristal Teledramaturgia. Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  3. Cristal Internet Movie Database. Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  4. Castro, Daniel (5 de maio de 2001). SBT volta a produzir telenovelas em julho (em português) Folha de São Paulo. Página visitada em 20 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 21 de dezembro de 2013.
  5. Bastidores de Os Ricos Também Choram (27 de dezembro de 2012).
  6. a b c Em busca do ibope, SBT ressurge com oito novidades Folha de São Paulo. UOL (31 de março de 2006). Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  7. SBT desfalca Globo para formar elenco de "Cristal" Folha de São Paulo. UOL (4 de abril de 2006). Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  8. a b Atrizes e modelos gravam abertura da novela "Cristal" Folha de São Paulo. UOL (23 de maio de 2006). Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  9. Com ator global, SBT estréia novela "Cristal" nesta segunda-feira Folha de São Paulo. UOL (5 de junho de 2006). Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  10. a b c "Cristal" derrapa na estréia e fica em 3º lugar na audiência Folha de São Paulo. UOL (6 de junho de 2006). Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  11. Daniel Castro (30 de junho de 2006). Globo ‘esquarteja’ o final de ‘Belíssima’ Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  12. a b c d Após fiasco de "Cristal", SBT afasta Herval Rossano e Mayara Magri Folha de São Paulo. UOL (19 de julho de 2006). Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  13. a b c Fabíola Reipert (2 de julho de 2006). Zapping: Silvio de Abreu tratará cena gay de forma discreta Agora São Paulo da Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  14. Ator Rodrigo Veronese processa o SBT Folha de São Paulo. UOL (20 de maio de 2006). Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  15. Fabíola Reipert (2 de agosto de 2006). Zapping: Atriz se irrita com Dado e deixa gravação no SBT Agora São Paulo da Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 13 de setembro de 2014.
  16. Daniel Castro (14 de outubro de 2015). Repórter critica cobertura política da Globo Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 14 de setembro de 2014.
  17. Nem namoro de Dado com Luana Piovani faz "Cristal" decolar Folha de São Paulo. UOL (7 de julho de 2006). Página visitada em 13 de setembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]