Filosofia platônica-cristã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Filosofia Platônica-cristã)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde março de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Filosofia Platônico-cristã refere-se a duas correntes: por um lado, à apropriação da filosofia platônica pelos primeiros padres da Igreja Cristã (a chamada Patrística), e por outro, a um desenvolvimento "natural" da própria filosofia platônica, que em muitos pontos pode ser interpretada como mantendo uma relação de identidade ou ao menos de perfeita justaposição com a doutrina cristã (concepções metafísicas e morais tais como o dualismo psico-físico, a superioridade intrínseca do "outro mundo" - mundo das ideias em Platão, Reino dos Céus no cristianismo - em relação ao mundo presente, o corpo como "prisão da alma", etc).

Posteriormente, com os chamados Neo-platônicos (em especial, Plotino), ganha ênfase a fusão de elementos místicos da filosofia platônica e da doutrina cristã, como práticas de ascese e "visualização" ou experiências místicas, como por exemplo a visualização da ideia suprema (a ideia do Bem, para Platão), sendo entendida como a experiência de contato com o Deus cristão enquanto bondade absoluta.

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.