Quivira e Cíbola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Quivira e Cíbola são duas das fantásticas Sete Cidades de Ouro, que existem somente como um mito que originou-se por volta do ano 1150 quando os mouros conquistaram Mérida, na Espanha.

História[editar | editar código-fonte]

De acordo com a lenda, sete bispos abandonaram a cidade, não só para salvar suas próprias vidas como também para prevenir os muçulmanos de obterem relíquias sagradas religiosas. Anos depois, um boato circulou de que, em uma terra distante - um local desconhecido para as pessoas da época-, os sete biscos haviam fundado as cidades de Cíbola e Quivira.

A lenda diz que ambas enriqueceram-se muito, principalmente graças a pedras preciosas e ouro. Por isso, muitas expedições foram organizadas em busca das cidades ao longo dos séculos.

Eventualmente, a lenda cresceu a tal ponto que ninguém mais falava a respeito de Quivira e Cíbola apenas. Referiam-se a sete cidades magníficas feitas de ouro, uma para cada um dos bispos que deixaram Mérida.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

No filme A Lenda do Tesouro Perdido: Livro dos Segredos, o tesouro principal era Cíbola, a Cidade do Ouro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Mitologia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.