Esporte Clube Água Santa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Água Santa)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nota: Água Santa redireciona aqui. Se procura por outros resultados, consulte Água Santa (desambiguação)
Água Santa
EC Água Santa.png
Nome Esporte Clube Água Santa
Alcunhas Gigante de Diadema
Gigante do ABC
Netuno
Torcedor/Adepto Torcida Aquáticos e Tubarão Azul
Mascote Netuno
Principal rival Diadema
São Caetano
Santo André
São Bernardo
Fundação 27 de outubro de 1981 (37 anos)
Estádio Arena Inamar
Capacidade 10.000
Localização Diadema, SP
Presidente Paulo Korek de Farias
Treinador Fernando Marchiori
Patrocinador Jem Transportes Shopping Praça da Moça
Material (d)esportivo Karilu
Competição Campeonato Paulista de Futebol
Website [1]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Esporte Clube Água Santa é um clube de futebol paulista da cidade de Diadema, mesorregião metropolitana do estado de São Paulo. Fundado em 27 de outubro de 1981, suas cores são azul e branco.

História[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1981, no Jardim Eldorado na rua Água Santa, a equipe foi fundada por migrantes, especialmente nortistas, nordestinos e mineiros, que viam no clube a única possibilidade de lazer em Diadema. Aos poucos o clube foi subindo no futebol amador regional, principalmente a partir da década de 2000, onde conquistou 37 títulos. Permaneceu disputando apenas competições amadoras até 2011, e em 2012 preferiu disputar campeonatos de base. Com as conquistas, a torcida foi crescendo, e hoje estima-se que gire em torno de 10.000 pessoas. Seus adeptos são chamados de Aquáticos o Água Santa possuí 2 torcidas organizadas: a Torcida Organizada Aquáticos e a Torcida Organizada Tubarão Azul.

O Água Santa manda suas partidas no Estádio Municipal José Batista Pereira Fernandes, Chamado também de Estádio Distrital do Inamar com capacidade para 10.000 pessoas porém é liberado com a capacidade reduzida para até 8.075 pessoas, o estádio não dispõe de boa iluminação isso faz com que os jogos do Água Santa não sejam realizados a noite.

O Esporte Clube Água Santa já teve vestindo sua camisa verdadeiros ícones do futebol brasileiro como Claudecir, Zinho Capixaba, Capitão, Dinei e mais importante ainda, já formou, mesmo não tendo a classificação de clube formador, vários atletas em suas fileiras de base como Lelê que atuou no Fortaleza, Romarinho no F.C. Porto, Fernando no Internacional de Porto Alegre, Neilton no Santos e Fábio Ferreira no Botafogo.

Profissionalização[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira participação em um campeonato profissional, o Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 2013, alcança o seu objetivo que é o acesso. Na 1ª fase termina como líder do Grupo 8, avançando à 2ª fase caindo no Grupo 13, terminando também em 1º lugar no grupo. Na 3ª fase não é diferente e mais uma vez o clube termina líder, dessa vez no Grupo 16. Na 4ª fase o Água Santa lidera seu grupo conquistando o acesso e uma vaga na final contra a Matonense, vencendo o primeiro jogo por 5–2, mas perdendo o segundo duelo por 4–0, ficando com o vice campeonato.

Em 2014 o Água Santa disputou a Série A3 e conquistou o acesso para a Série A2 após a vitória contra o São José dos Campos por 1–0, em São José dos Campos.

Na Série A2 o time de Diadema já estava quase certo na elite antes da última rodada, jogou pelo regulamento e perdeu por 1–0 para o Velo Clube, em Rio Claro. Desta forma, terminou a A2 na quarta posição, com a mesma pontuação, mas oito gols a mais de saldo que o Mirassol, conquistando assim, pela 1ª vez a sua história o acesso para a elite do Campeonato Paulista, selando o terceiro acesso seguido do clube, que começou no profissionalismo em 2013 pela Segunda Divisão e conquistando o acesso à elite em 2015.[1]

Em 2016 foi a primeira vez que o Água Santa participou da Série A1 do Paulistão. No dia 27 de março conseguiu aplicar um placar histórico em cima do Palmeiras, com o placar de 4–1, pela décima segunda rodada da competição, e mostrando todo seu potencial e progresso na competição estadual mais disputada do país.[2] Sua maior goleada já sofrida foi contra a Ponte Preta, no dia 2 de abril, no Estádio Moisés Lucarelli. Com o placar de 7–2 para Ponte Preta. Apesar de ter feito um bom começo de campeonato Paulista, não manteve o ritmo e acabou sendo rebaixado para Série A2 de 2017.

Em 2017 o Água Santa disputa a Série A2 do paulista, após ser rebaixado no ano seguinte, o clube fez uma boa primeira fase disputando a liderança com outros clubes como São Caetano, Bragantino e Rio Claro, o Água Santa acaba a primeira fase como líder, porém cai nas semifinais nos pênaltis contra o Bragantino após ganhar em Bragança por 1–0 e perder no Inamar pelo mesmo placar. No segundo semestre houve a disputa da Copa Paulista, o Água Santa cai em um grupo onde consegue se classificar para a segunda fase, na segunda fase no entanto o Água Santa cai em um grupo difícil com Ferroviária e Inter de Limeira e acaba sendo eliminado perdendo a chance de conquistar um título inédito, essa porém foi a melhor campanha do Água Santa na competição, com o clube ficando na 9ª posição na classificação geral.

Em 2018 o Água Santa teve o que é considerado o seu pior ano desde a sua profissionalização o clube que era comandado por Jorginho acabou emplacando uma série de jogos ruins no começo da Série A2 daquele ano, isso acabou culminando com a demissão de Jorginho e a contratação de Toninho Cecílio como o novo treinador, a passagem de Toninho Cecílio pelo clube foi curta apenas quatro jogos sendo duas derrotas e dois empates, Toninho Cecílio foi demitido apenas 2 meses após assumir o clube sendo o treinador que ficou menos tempo no comando do clube. Márcio Ribeiro retornava como treinador do time, no entanto o time ainda continuava a jogar mal, o Água Santa se salvou do rebaixamento apenas na última rodada com um empate em 1X1 contra a Inter de Limeira, o Água Santa ficou na 14 posição de um total de 16 clubes escapando por pouco do rebaixamento a Série A3. Na Copa Paulista de 2018 o Netuno não consegue repetir a campanha anterior e sobre o comando do treinador da base que foi efetivado, o Antônio Carlos o Água Santa faz uma péssima campanha, caindo no grupo 3 o tubarão de Diadema somou apenas 2 pontos sendo que teve uma campanha com nenhuma vitória 2 empates e 10 derrotas com um saldo de gols de -19 o time foi lanterna do grupo a competição inteira, o ano inteiro do time de Diadema foi algo ruim e a torcida prefere esquecer desse ano.

Em 2019 o Água Santa contorna a campanha ruim no ano anterior na Série A2 2019 o Netuno praticamente lidera toda a competição encerrando a primeira fase com 35 pontos tendo em 15 jogos 10 vitórias, 1 empate e 4 derrotas e tendo um saldo de gols de +11 na primeira colocação e avançando as quartas de final, nas quartas de final encara o oitavo colocado o Taubaté, o Água Santa venceu os 2 jogos por 5x0 e 2x0 e se classificou para as semifinais onde encarou o Santo André, acabou perdendo o primeiro jogo em Santo André por 2x0 no segundo jogo no Inamar tentou reagir e até ganhou a partida por 3x2, mas não foi o bastante para que levasse o time a final. Entretanto houve a fusão do Bragantino com o Red Bull Brasil passando a se chamar Red Bull Bragantino com isso o terceiro colocado da Série A2 subiria também que é o caso do Água Santa, logo o Água Santa disputará a Série A1 de 2020 retornando a elite após 4 temporadas.

Títulos[editar | editar código-fonte]

MUNICIPAIS
Competição Títulos Temporadas
Bandeira de Diadema-SP, Brasil.png Campeonato Amador de Diadema 3 2004, 2009 e 2010
Bandeira de Diadema-SP, Brasil.png Campeonato Amador de Diadema – Segunda Divisão 1 2001
Bandeira de Diadema-SP, Brasil.png Campeonato Amador de Diadema – Terceira Divisão 1 2000
Bandeira de Diadema-SP, Brasil.png Copa Amadora de Diadema 1 2001
TOTAL
Competição Títulos Temporadas
EC Água Santa.png Títulos oficiais 1 6 Municipais

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

DESTAQUES
Competição Resultados
São Paulo Campeonato Paulista – Série A2 3º colocado (2017 e 2019)
4º colocado Aumento (2015)
São Paulo Campeonato Paulista – Série A3 3º colocado Aumento (2014)
São Paulo Campeonato Paulista – Segunda Divisão Vice-campeão Aumento (2013)
Bandeira de Diadema-SP, Brasil.png Primeira Divisão de Diadema Vice-campeão (2002, 2003, 2005 e 2006)
Bandeira Santo André.pngBandeira de São Bernardo do Campo.jpgBandeira de São Caetano do Sul.svgBandeira de Diadema-SP, Brasil.png Copa Uniligas do ABCD Vice-campeão (2008 e 2009)
Aumento Promovido à divisão superior

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Aumento Promovido à divisão superior
Baixa Rebaixado à divisão inferior
Inativo Licenciamento no ano seguinte
Participações em 2019
Competição Temporadas Melhor campanha Anos A Aumento R Baixa
São Paulo Campeonato Paulista 1 15º colocado (2016) 2016 Baixa 1
Série A2 4 3º colocado (2017 e 2019) 2015 Aumento e 2017-2019 2
Série A3 1 3º colocado (2014) 2014 Aumento 1
Segunda Divisão 1 Vice-campeão (2013) 2013 Aumento 1
Copa Paulista 4 Segunda fase (2016 e 2017) 2016-2019

Temporadas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Temporadas do Água Santa
Temporadas do Esporte Clube Água Santa
Brasil Nacionais Flag of the United Nations.svg Internacionais São Paulo Estaduais
Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Continentais / Mundial Campeonato Paulista Copa Paulista
Ano Div. Pos. Pts J V E D GP GC Fase Máxima Competição Fase Máxima Div. Pos. Fase Máxima
2013 D Não classificado SD
2014 D Não classificado A3
2015 D Não classificado A2
2016 D Não classificado A1 15º 2F
2017 D Não classificado A2 2F
2018 D Não classificado A2 13º 1F
2019 D Não classificado A2 Ad.
Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Eliminado nas semifinais
     Campeão e promovido à divisão superior
     Vice-campeão e/ou promovido à divisão superior
     Rebaixado à divisão inferior
     Classificado à fase de grupos da Copa Libertadores
     Classificado à fase preliminar da Copa Libertadores
     Classificado à Copa Sul-Americana

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

Sub-20 (juniores)[editar | editar código-fonte]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações
Participações em 2019
Competição Temporadas Melhor campanha Anos A Aumento R Baixa
São Paulo Copa São Paulo de Futebol Júnior 4 3ª fase (2017 e 2019) 2016-2019

Ídolos[editar | editar código-fonte]

Goleiros
  • Maurício (2014-)
Zagueiros
  • Cícero (2013)
Volantes
Meias
  • Lucas Limão (2013-2014)
  • Francisco Alex (2014-2016)
Atacantes
  • Danilo Alves (2013)
  • Marcelinho (2013-2014)
  • Rafael Martins (2013-2014) e (2015-2017)

. Fumaça (2009-2011)

Técnico
  • Márcio Ribeiro (2013-)
  • Em negrito, os jogadores que ainda atuam pelo Água Santa.

Maiores artilheiros[editar | editar código-fonte]

 
Goleadores
EC Água Santa.png
Brasil 1. Marcelinho (2013-2014) 17
Brasil 2. Rafael Martins (2013-2014 / 2015 / 2017) 20
Brasil 3. Lucas Limão (2013-2014) 14
Brasil 4. Danilo Alves (2013) 11
Brasil 5. Ricardinho (2013-2014) 9
Brasil 6. Francisco Alex (2014-) 8
Brasil 7. Júlio Madureira (2015-) 7
Brasil 8. Cícero (2013 / 2015-) 7
Brasil 9. Guina (2014-) 4
Brasil 9. Danilo Pereira (2014) 4
Brasil 9. Rafael Mineiro (2013) 4

Guilherme Reche (2012)

Retrospecto por Técnico[editar | editar código-fonte]

Ano Treinador J V E D GP GC SG %
2013-2016 Brasil Márcio Ribeiro 85 43 21 21 149 105 +44 58,8%
2016 Brasil Márcio Bittencourt 4 1 1 2 6 9 -3 33,3%
2016 Brasil Edinho 10 5 3 2 12 8 +4 60%
2016 Brasil Fahel Júnior 6 0 2 4 2 7 -5 11,1%
2017-2018 Brasil Jorginho 45 19 11 15 56 47 +9 50,3%
2018- Brasil Toninho Cecílio 4 0 2 2 1 6 -5 16,6%
2013-atual TOTAL 154 68 40 46 226 182 +44 52,8%

Informações[editar | editar código-fonte]

  • O primeiro gol do time profissional foi de Lucas Limão numa cobrança de pênalti contra o E.C São Bernardo.
  • O Água Santa já conseguiu a façanha de ganhar do Palmeiras pelo placar de 4X1 com gols marcados por Gustavo Lazzaretti, Everaldo, Bruninho e Roger Carvalho marcando contra, Robinho fez o único gol do Palmeiras.
  • O Água Santa também conseguiu perder para a Ponte Preta pelo placar de 7X2, sendo essa a maior goleada sofrida pelo clube, os gols foram marcados por Wellington Paulista 4 vezes, Elton, Felipe Azevedo e Douglas Grolli marcaram para a Ponte Preta, enquanto Tchô marcou os dois do Água Santa.

Referências

  1. «Da várzea à elite em quatro anos: conheça o "meteórico" Água Santa». 5 de maio de 2015. Consultado em 6 de junho de 2015 
  2. «Crise sem fim. Palmeiras sofre quatro gols e perde a 4ª seguida com Cuca». 27 de março de 2016. Consultado em 28 de março de 2016