Índice de força relativa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Índice de força relativa ou IFR mede a aceleração do movimento dos preços de determinado ativo e dá suas indicações à medida que o movimento diminui a velocidade, dentro da idéia de que é preciso desacelerar para poder mudar de direção. Para medir esta aceleração J. Welles Wilder em seu livro New Concepts in Technical Trading Systems (1978) desenvolveu o conceito de Força Relativa que é monitorar as mudanças nos preços de fechamento. Seu acompanhamento muitas vezes possibilita observar o enfraquecimento de uma tendência, rompimentos, suporte e resistência antes de se tornarem aparentes.

O IFR dos preços de uma ação evidencia situações de reversão ou de consolidação de tendências. O indicador dá origem a um gráfico em linha, o qual deve ser “plotado” paralelamente ao gráfico de barras dos preços (ou a um gráfico candlestick ou gráfico de linha), obedecendo à mesma escala horizontal (tempo), e com a escala vertical calibrada aritmeticamente. A imagem do IFR é compreendido no intervalo [0;100].

Alguns analistas determinam a faixa acima de 70 ou 80 como intervalo onde a ação entra em uma área de risco, diz-se que os preços estão overbought, no gráfico de preços e pode sinalizar reversão da tendência em curso e a zona de compra (intervalo [0;30] onde os preços estão oversold, devendo, por conseguinte, ocorrer sinalização de reversão para alta dos preços). O IFR pode ser calculado como explicado pela seguinte equação:

Onde:

  • IFR= Índice de força relativa.
  • U= Média de todas as variações positivas no preço da ação dentro do período em estudo.
  • D= Média de todas as variações negativas no preço da ação dentro do período em estudo.

História[editar | editar código-fonte]

O conceito foi desenvolvido por J. Welles Wilder e publicado em 1978, no livro New Concepts in Technical Trading Systems, e na revista Commodities (atualmente Futures) em junho de 1978.[1] Tornou-se um dos índices mais populares de osciladores.[2]

Referências

  1. J. Welles Wilder, New Concepts in Technical Trading Systems, ISBN 0-89459-027-8
  2. John J. Murphy (2009). The Visual Investor: How to Spot Market Trends 2nd ed. [S.l.]: John Wiley and Sons. p. 100. ISBN 9780470382059