Óleo vermelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Óleo vermelho é definido como uma substância de variada composição formada quando uma solução orgânica, tipicamente o fosfato de tri-n-butila (TBP, tri-n-butyl phosphate, um agente usado para a extração de metais pesados ​​em plantas de reprocessamento nuclear) e seu diluente — entra em contato com ácido nítrico concentrado, a uma temperatura acima de 120° C.

Dentro da indústria de etileno (eteno), "óleo vermelho" é um termo que descreve um contaminante orgânico frequentemente encontrado em torres de processamento cáustico. O "óleo vermelho" é um polímero orgânico que é formado a partir da condensação de aldol de acetaldeído em solução de hidróxido de sódio. Inicialmente, o acetaldeído forma um óleo amarelo leve que flutua. Rapidamente este continuará a polimerização em uma cor mais familiar alaranjada/avermelhada, daí o termo "óleo vermelho". Este óleo vermelho, particularmente quando envelhecido, forma um óleo pesado mais pegajoso que é difícil de separar. Isso produz problemas de incrustações e entupimento na torre de processamento cáustico e sistemas de manuseio de cáusticos gastos (soda exausta) a jusante, fazendo deste óleo vermelho um contaminante que é acompanhado de perto na indústria.[1][2]

Referências

  1. Wines, T. H., Improve contaminant control in ethylene production; Hydrocarbon Processing; April 2005, pgs 41-46 — PDF Arquivado em 1 de fevereiro de 2014, no Wayback Machine. — www.hydrocarbonprocessing.com
  2. C. Maugans, M Howdshell; Update: Spent caustic treatment; Hydrocarbon Processing; April 2010, pgs 61-66 — PDF Arquivado em 6 de fevereiro de 2013, no Wayback Machine.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]