Úlcera varicosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Úlcera varicosa
Úlceras na perna antes de uma cirurgia
Classificação e recursos externos
CID-10 I83.0, I83.2, L97
CID-9 454.0
DiseasesDB 29114
MedlinePlus 000834
MeSH D014647
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Úlcera varicosa ou úlcera venosa é uma ferida profunda na pele que ocorre quando o sangue não circula de volta ao coração (insuficiência venosa), geralmente afetando as pernas e pés. É o tipo mais comum de úlcera (70% dos casos), sendo um problema muito frequente em idosos, mulheres e entre pessoas com dificuldade de locomoção.[1]

Causas[editar | editar código-fonte]

Úlcera inicial e sua evolução 3,5 meses e 4,5 meses depois do ínicio do tratamento.

Quando as válvulas venosas não funcionam bem, o sangue venoso se acumulam nos tecidos inferiores conforme a gravidade. A insuficiente circulação sanguínea resulta em falta de oxigenação tissular (hipóxia), acumulação de produtos tóxicos provenientes do metabolismo tissular e aumento de pressão venosa distal que causam necrose progressiva dos tecidos.[2]

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Conforme o sangue venoso se acumula a pele fica cada vez mais vermelha e escura nas partes mais inferiores do corpo. A pele começa a tornar-se grossa, seca, inchada e coçar. A maior parte dos casos é indolor, mas pode ser dolorosa. Conforme a pele apodrece, o pus se forma, surge um odor característico de carne podre.

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Sua aparência, de ferida profunda com exsudato, é bastante característica. Comparar a pressão do braço com a pressão da perna, com o paciente sentado serve para verificar a insuficiência venosa (se uma é menos de 80% da outra). Uma ecografia dos vasos sanguíneos pode confirmar insuficiência das válvulas venosas.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Se o tratamento eficaz da insuficiência venosa não for feito a úlcera não melhora espontanemanete, pode aumentar e novas úlceras podem aparecer..[3]

Primeiro é necessário limpar as feridas com antisséptico, remover toda pele necrosada e cobrir a pele saudável com gases limpas. Levantar as partes afetadas (geralmente as pernas) e usar tecidos elásticos para comprimir o local (geralmente meias elásticas) previne novas úlceras e permite que elas se curem lentamente. Caminhar melhora a circulação das pernas, perder peso em caso de obesidade e parar de fumar também é recomendado. [4]

Debridamento cirúrgico, antibióticos locais, cirúrgia venosa, oxigênio hiperbárico e/ou pentoxifilina podem ser necessários em lesões extensas. Analgésicos típicos (AINES) melhoram a dor.

Referências

  1. Venous Skin Ulcer - Topic Overview. http://www.webmd.com/skin-problems-and-treatments/tc/venous-skin-ulcer-topic-overview#1
  2. Mustoe T (2004). "Understanding chronic wounds: a unifying hypothesis on their pathogenesis and implications for therapy". Am. J. Surg. 187 (5A): 65S–70S. doi:10.1016/S0002-9610(03)00306-4. PMID 15147994.acesso a 4-Nov-2012
  3. Stanley AC, Lounsbury KM, Corrow K, et al. (2005). "Pressure elevation slows the fibroblast response to wound healing". J. Vasc. Surg. 42 (3): 546–51. doi:10.1016/j.jvs.2005.04.047. PMID 16171604, acesso a 4-Nov-2012
  4. What is the treatment for venous leg ulcers? https://patient.info/health/venous-leg-ulcers-leaflet