3C 273

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
3C 273[1]
Dados observacionais (J2000)
Constelação Virgo
Ascensão reta 12h 29m 06,7s
Declinação 02° 03′ 09″
Redshift 0,158339 ± 0,000067
Distância 2,44 bilhões de anos-luz (749 M pc)
Tipo Blazar, Sy1
Magnit. apar. 12,8V
Outras denominações PGC 41121, HIP 60936

O 3C 273 foi o primeiro objeto identificado como um quasar, sendo também o quasar opticamente mais brilhante do céu, localizado na constelação de Virgo.[2]

O 3C 273 é um dos objetos mais energéticos e ativos conhecidos, sendo, em média, mais luminoso que 1000 galáxias, cada uma contendo 100 bilhões de estrelas, e está a aproximadamente três bilhões de anos-luz da Terra. O nome 3C 273 significa que é o objeto de número 273 no terceiro catálogo de fontes de rádio de Cambridge.[3]

Imagem do quasar 3C 273 e seu jato, obtida pelo telescópio Hubble.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1962, o astrônomo Cyril Hazard e seus colegas da Universidade de Sydney, estavam usando um novo método para determinar a posição precisa de uma fonte de rádio no céu. O método envolvia a ocultação da fonte pela lua. Dessa forma, foi determinada a posição da fonte de rádio 3C 273 (composta por dois componentes separados por 20 arcsec) com uma precisão de 1 arcsec. Isso permitiu aos astrônomos a identificação da contraparte óptica deste objeto, que parecia ser uma estrela com magnitude 13, juntamente com um débil "jato".[2][4] O jato possuía uma largura de 1 a 2 arcsec e se estendia para além da estrela, não sendo visível dentro dos primeiros 11 arcsec da estrela e terminando a 20 arcsec da estrela.[5]

Em 1963, o astrônomo Maarten Schmidt, usando os observatórios de Monte Wilson e Palomar, analisando o espectro deste objeto, percebeu que as linhas de emissão estavam desviadas para o vermelho em 16%, o que indicava que o objeto estava a aproximadamente três bilhões de anos luz da Terra, fora da nossa galáxia e portanto não poderia ser uma estrela. A partir de então, este objeto e outros semelhantes passaram a ser chamados de "objetos quase estelares" ou quasares.[2][4][3]

Referências

  1. «NASA/IPAC Extragalactic Database». Results for 3C 273. Consultado em 9 de novembro de 2017 
  2. a b c Bradley M. Peterson (1997). «Cap.1: Basic properties and a brief historical perspective». An Introduction to Active Galactic Nuclei (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 0-521-47911-8 
  3. a b Thierry J.-L. Courvoisier; E. Ian Robson (junho de 1991). «The Quasar 3C 273». Nature America, Inc. Scientific American (em inglês). 264 (6): 50-57 
  4. a b Ajit K. Kembhavi; Jayant V. Narlikar (1999). «Cap.1: Historical background». Quasars and Active Galactic Nuclei. An Introduction (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 0-521-47477-9 
  5. M. Schmidt (16 de março de 1963). «3C 273: A star-like object with large red-shift». Springer Nature. Nature (em inglês). 197 (4872): 1040. Bibcode:1963Natur.197.1040S. doi:10.1038/1971040a0