A Mandrágora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem da raiz da planta que supostamente se extraia o veneno que faz parte da história da peça de teatro A Mandrágora.

A Mandrágora é uma peça de teatro escrita em 1503 e publicada pela primeira vez em 1524, escrita pelo italiano Nicolau Maquiavel.

Conta a história do jovem florentino Calímaco, que por conta de uma aposta, conhece e passa a desejar furiosamente uma mulher casada que não consegue ter filhos com seu marido. Para conquistá-la, com ajuda de um jovem embusteiro, de um frei sem escrúpulos e da mãe da recatada esposa, ele finge ser médico e receita um tratamento a base de mandrágora, uma planta afrodisíaca.

A Mandrágora é considerada um marco no teatro ocidental. Maquiavel constrói um texto onde a conquista amorosa, com suas urgências e exaltações, servem como pretexto para desenvolver um tratado prático e saboroso sobre estratégia política, sobre a arte de envolver, manipular, convencer e, por fim, conquistar um objetivo.

Ícone de esboço Este artigo sobre Arte ou História da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.