A Nosa Terra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Nosa Terra foi a voz das Irmandades da Fala (1916-1932) e do Partido Galeguista (1932-1936), editou-se integralmente em galego e foi fundamental para o espalhamento do ideal galeguista. No total foram editados 422 números.

Periodicidade[editar | editar código-fonte]

A Nosa Terra teve uma periodicidade muito variável, começou saindo decenalmente para passar a sair quinzenalmente até a ditadura de Primo de Rivera, durante a qual saiu mensalmente. Em junho de 1933 regressou à periodicidade decenal.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro número saíu a 14 de Dezembro de 1916 na Corunha, contava com oito páginas. Antón Vilar Ponte foi o seu diretor até a IV Assembleia das Irmandades da Fala (1922); a partir de então Víctor Casas assumiu a direção, ainda que nominalmente tenham sido nomeados diretores Alexandre Bóveda, Aquilino Iglesia Alvariño em 1933 ou Ramom Soares Picalho em 1934. Em Fevereiro de 1932, pouco depois do nascimento do Partido Galeguista, converte-se no seu órgão oficial.

Em 1917 contava com 2000 assinantes, em 1931 500 e em 1935 1000, ainda que se desconhece a tiragem exata. Os fundos da publicação provinham das assinaturas, da publicidade, das doações dos galegos da América e das Irmandades da Fala primeiro e o Partido Galeguista depois.

Em 17 de Julho de 1936 saiu o derradeiro número de A Nosa Terra.

Colaboradores[editar | editar código-fonte]

A Nosa Terra colaboraram quase todos os intelectuais galeguistas do primeiro terço do século XX:

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre A Nosa Terra