Adalberto Fonseca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

[1]

Adalberto Fonseca


Adalberto Fonseca (Campo do Brito, 23 de abril de 191717 de março de 2003) foi um militar brasileiro.

Filho de Graciliano Apolônio da Fonseca e Maria Rodrigues, estudou apenas o antigo primário e aos quatorze anos ingressou na Escola de Aprendizes-Marinheiro, em Salvador. Posteriormente serviu como fuzileiro naval no Rio de Janeiro.

Foi tripulante do contra-torpedeiro Minas Gerais quando desembarcou na Praia Vermelha durante a Intentona Comunista, em 1935 no Rio de Janeiro (RJ), sendo alvejado quando manejava o canhão do navio. Após um longo período de recuperação, foi agraciado pelo Governo Federal com a nomeação para a Coletoria Federal de Muribeca.

Em 1938, casou-se com Elza Almeida Santos, tendo oito filhos. Em 1938 passa a residir em Lagarto. Quando pesquisava a história de sua terra natal, começou a se interessar pela da cidade de Lagarto. Foi um dos fundadores da UDN em Lagarto (SE). Nos anos 60 contribuiu com o jornal A Voz de Lagarto,inclusive como diretor. Em 08 de maio de 1968 sofre tentativa de assassinato por questões política. Em 1971, desenha a bandeira e compõe o hino do município. Apesar da sua pesquisa ser considerada importante para a memória do município, somente em 2002 é que o Governo do Estado faz sua publicação.

Em 1986, falece sua esposa, no ano seguinte casa-se com Maria do Amparo Oliveira Viana. Em 2002 a Prefeitura Municipal cria o Centro Cultural Adalberto Fonseca. Em 2012 e homenageado com a colocação do seu nome em uma creche e uma rua no município de Lagarto.

Recebeu condecoração póstuma "Comenda Daltro", em 20 de abril de 2011, na cidade de Lagarto (SE).

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Bandeira de Lagarto
  • Hino de Lagarto
  • História de Lagarto - livro
  • História de Campo do Brito - livro
  • Diversas publicações em revistas e jornais
  • Hino de Campo do Brito
  • Bandeira de Campo do Brito
    • FONSECA, Adalberto. História de Lagarto. Governo de Sergipe: 2002.