Alberto Augusto Miranda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Alberto Augusto Miranda (Vila Real, 21 de Fevereiro de 1956) é um escritor português, tendo publicadas 16 obras de poesia, teatro e ficção, para além de traduções. Das suas obras constam os seguintes títulos: Dá-me Com A Noite (Alcañices, poesia, 2001), O_Estando (Lisboa, poesia, 2004), Nojo (Paris, teatro), Borbotom (Lisboa 2006, teatro), Lembrandt (Lisboa, 2010) Encenou Ninguém Ama Ema a partir de Húmus de Raul Brandão e Sítios Sitiados de Luiza Neto Jorge (Lisboa, 2001, interpretação de João Ascenso e Sónia Alves. Bases laterais: Carla Simões e Aurélie Quilgars); Três Quadros de Virgínia Woolf, com Alexandra Bernardo, Célia Machado, Laura Moura e Sónia Alves (Lisboa, 2005).

Um dos seus últimos trabalhos é a encenação do poema Branco e Vermelho de Camilo Pessanha, estreado em Lisboa em Fevereiro de 2006, com interpretação de Alexandra Bernardo

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]