Alimentação por sedimentos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A alimentação por sedimentos (também conhecida como alimentação por depósitos) é um tipo de processo nutritivo praticado por algumas espécies animais, que se alimentam de partículas de matéria orgânica no solo ou no sedimento.[1] Normalmente, estes seres ingerem o solo e separam as partículas de alimento dentro do seu aparelho digestivo.

Exemplos de organismos que são comedores por este processo são as minhocas,[2][3] além dos caranguejos e algumas de suas espécies.[4][5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Alimentação - Poliquetas». www.biorede.pt. Biorede - Diversidade animal. Consultado em 1 de abril de 2019 
  2. Levit, Maria Isabel. «Como Criar - Minhoca». www.globo.com. Globo Rural. Consultado em 1 de abril de 2019 
  3. Equipe. «Alimentar minhocas na composteira: como introduzir os resíduos de forma correta». www.ecycle.com.br. eCycle. Consultado em 1 de abril de 2019 
  4. Pascoal, João Vitor. «Tudo o que você precisa saber sobre caranguejos». Curiosamente. Curiosamente - Diário de Pernambuco. Consultado em 1 de abril de 2019 
  5. Redação Galileu (26 de fevereiro de 2019). «Caranguejos que se alimentam de "vazamento" de metano são descobertos». revistagalileu.globo.com. Revista Galileu. Consultado em 1 de abril de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.