Allan Bloom

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde agosto de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Allan Bloom
Nascimento 14 de setembro de 1930
Indianápolis,  Indiana
Morte 17 de outubro de 1992 (62 anos)
Chicago,  Illinois
Nacionalidade norte-americano
Ocupação Filósofo
Professor
Prêmios Prémio Charles Frankel (1992)

Allan David Bloom (Indianápolis, 14 de setembro de 1930Chicago, 17 de outubro de 1992) foi um filósofo e professor americano.[1]

Bloom tornou-se famoso por suas críticas político-filosóficas à cultura. Ele é um dos mais famosos e importantes estudantes do filósofo alemão Leo Strauss[2], este último que imigrou para os EUA em 1938. Um de seus alunos mais conhecido é Francis Fukuyama, por seu polêmico livro "O fim da história".

Influenciando por Platão, Rousseau, Nietzsche e Leo Strauss. Seu trabalho exerceu uma forte influência sobre o movimento neoconservador norte-americano.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

  • Shakespeare on Love & Friendship (2000) (reimpressão da seção Love & Friendship).
  • Love & Friendship (1993)
  • Giants and Dwarfs: Essays, 1960-1990. (1990)
  • The Closing of the American Mind (1987), dt.: O fechamento da mente americana (1988)
  • Shakespeare's Politics. (1981) (com Harry V. Jaffa)

Referências

  1. Obituary: Professor Allan Bloom - 12 de outubro de 1992.
  2. Bloom, Allan. 1991. Giants and Dwarfs: Essays, 1960–1990, p. 11. New York: Touchstone Books