Amália da Saxónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Amália
Princesa da Saxónia
Retrato por Vicente López Portaña, 1825
Casa Wettin
Nome completo
em alemão: Maria Amalia Friederike Augusta Karolina Ludovica Josepha Aloysia Anna Nepomucena Philippina Vincentia Franziska de Paula Franziska de Chantal
em português: Maria Amália Frederica Augusta Carolina Ludovica Josefa Heloisa Ana Napomucena Filipina Vincentina Francisca de Paula Francisca de Chantal
Nascimento 10 de agosto de 1794
  Dresden, Saxônia, Alemanha
Morte 18 de setembro de 1870 (76 anos)
  Dresden, Saxônia, Alemanha
Pai Maximiliano, Príncipe Hereditário da Saxônia
Mãe Carolina de Parma

Amália da Saxónia (Dresden, 10 de agosto de 1794 - Dresden, 18 de setembro de 1870), foi princesa da Saxónia e compositora alemã com o pseudónimo de A. Serena, e também uma dramaturga sob o pseudónimo de Amalie Heiter.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era a filha mais velha de Maximiliano, Príncipe Hereditário da Saxônia e da princesa Carolina de Parma. Era também neta de Frederico Cristiano, Eleitor da Saxónia e irmã do rei Frederico Augusto II da Saxónia, de João da Saxónia.

A princesa Amália viveu toda a sua vida no Castelo de Pillnitz perto de Dresden, Alemanha. Era uma mulher bem educada e intelectualmente curiosa que compunha música de salão, ópera e música sagrada, cantava, escrevia comédias e tocava cravo.

Amália era ainda uma criança durante as invasões napoleónicas e teve de fugir do seu castelo várias vezes. Ela e a família foram forçados a dormir em palha onde quer que encontrassem refúgio. Ela encontrou-se com Napoleão várias vezes e tinha uma má opinião dele. Quando Napoleão lhe disse que ia invadir a Áustria, ela respondeu-lhe azedamente.

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

Amália começou a escrever música em 1811 e compôs várias óperas que foram populares entre a elite de Dresden. Ela publicava os seus trabalhos sob os pseudónimos de Amalie Heiter e A. Serena. Os seus melhores trabalhos foram as operas cómicas onde ela conseguiu retratar as suas personagens com inovação e cor.

Amália estudou com Joseph Schuster, Vincenzo Rastrelli, Johann Miksch, Franz Anton Schubert e Carl Maria von Weber. Webber achava-a "muito talentosa."

Trabalhos musicais[editar | editar código-fonte]

  1. Una donna (1816)
  2. Le nozze funeste (1816)
  3. Le tre cinture (1817)
  4. Il prigioniere (1820)
  5. L'americana (1820)
  6. Elvira (1821)
  7. Elisa ed Ernesto (1823)
  8. La fedeltà alla prova (1826)
  9. Vecchiezza e gioventù (1828)
  10. Il figlio pentito (1831)
  11. Il marchesino (1833)
  12. Die Siegesfahne (operetta, 1834)
  13. La casa disabitata (1835)

Honras[editar | editar código-fonte]


Referências[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Amália da Saxónia