André da Silva Mascarenhas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

André da Silva Mascarenhas foi um juiz e poeta português.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi um Poeta do século XVII que, em 1671, num Poema que intitulou Destruição de Espanha, plagiou descaradamente a obra de Brás Garcia de Mascarenhas, plágio que ficou comprovado estrondosamente com a publicação, 28 anos depois, do Viriato Trágico.[1]

Era o plagiário Doutor em Leis pela Faculdade de Leis da Universidade de Coimbra e Juiz Desembargador do Tribunal da Relação do Porto, cargo de que tomou posse a 20 de Agosto de 1673, tendo, ao que parece, nascido numa terra do Bispado de Lamego.[1]

Referências

  1. a b c Vários. Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. [S.l.]: Editorial Enciclopédia, L.da. pp. Volume 16. 494 
Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.