Andrés Martínez Trueba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Andrés Martínez Trueba
Presidente do Conselho Nacional de Governo Uruguai
Período 1 de março de 1952
até 1 de março de 1955
Antecessor(a) Ele mesmo (Executivo Unipessoal)
Sucessor(a) Luis Batlle Berres
31.º Presidente do Uruguai Uruguai
Período 1 de março de 1951
até 1 de março de 1952
Vice-presidente Alfeo Brum
Antecessor(a) Luis Batlle Berres
Sucessor(a) Conselho Nacional de Governo
Presidente do Banco da República Oriental do Uruguai (BROU) Uruguai
Período 1948-1952
Antecessor(a) Alfredo Baldomir
Sucessor(a) Alberto Fermín Zubiría
Intendente de Montevidéu Uruguai
Período 1947-1948
Antecessor(a) Juan Pedro Fabini
Sucessor(a) Álvaro Correa Moreno
Dados pessoais
Nascimento 1884
Montevidéu, Uruguai
Morte 1959
Montevidéu, Uruguai
Partido Partido Colorado
Profissão professor, químico

Andrés Martínez Trueba (Montevidéu, 11 de fevereiro de 1884Montevidéu, 1959) foi um professor, químico e político uruguaio, Presidente do Uruguai entre 1951 e 1952, e presidente do Conselho Nacional de Governo, entre 1952 e 1955.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho dos imigrantes espanhóis Andrés Martínez Delgado e Tarcira Trueba Gainza, foi criado na cidade de Florida até mudar-se com a família para o bairro de Peñarol, na capital uruguaia. Graduou-se em Química Farmacêutica, na Universidade da República. Foi casado com María Aída Serra, com quem teve três filhos.

Admirador de José Batlle y Ordóñez, entraria para a política, onde passou a desempenhar cargos eletivos como: Deputado, em 1922 e 1925; e Senador, em 1926.[1] Sua atuação também se destacou na "Comissão dos 25", encargada de redigir as bases do sistema eleitoral uruguaio moderno, que também deu origem à Corte Eleitoral.[2]

Encabeçou a chapa presidencial Batllista, conhecida como "Lista 15", nas eleições de 1950 acompanhado por Alfeo Brum. Eleito presidente da República, propôs uma reforma constitucional para instalar um Poder Executivo colegiado, realizando o ideario José Batlle y Ordóñez. Consagrada a nova Constituição uruguaia em 1952, abandonou a Presidência da República (executivo unipessoal) para integrar o primeiro Presidente do Conselho Nacional de Governo, durante o resto do período constitucional.[3]

Referências

  1. REYES, Abadie, Washigton (2001). Crónica General del Uruguay. Volumen 7 El siglo XX Tomo 2. [S.l.]: Editorial Banda Oriental. pp. 245,246. ISBN 9974-1-0185-9 
  2. «Presidentes de América del Sur - Andrés Martínez Trueba» (pdf). ElBiblioteCom). Consultado em 3 de novembro de 2015 
  3. «Neo-Batllism, 1947-51». Country Studies - Federal Research Division of the Library of Congress). Consultado em 3 de novembro de 2015