Químico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Apothecary ou The Chemist por Gabriël Metsu (ca. 1651–67)

Químico é um profissional/cientista treinado no estudo da química.

. Eles estudam a composição da matéria e suas propriedades, tais como a densidade e acidez. Descrevem cuidadosamente as propriedades por eles estudadas em termos de quantidade, com detalhes sobre o nível de moléculas e átomos que os compõem. Medem proporções de substâncias, as taxas de reação e demais propriedades químicas.1

Determinam a composição e as propriedades de substâncias desconhecidas, assim como são preparados para reproduzir e sintetizar grandes quantidades de substâncias úteis que ocorrem naturalmente, criar novas substâncias artificiais e processos úteis. Químicos podem se especializar em qualquer subdisciplina da química. Cientistas de materiais e metalúrgicos compartilham muito da mesma educação e habilidades dos químicos. O trabalho de químicos é muitas vezes relacionado ao trabalho dos engenheiros químicos, que são principalmente preocupados com o desenvolvimento de projetos industriais adequados, construção e avaliação de plantas mais rentáveis para a fabricação em larga escala de produtos químicos. Os químicos trabalham em estreita colaboração com a indústria no desenvolvimento de novos processos e métodos para a fabricação em escala comercial de produtos químicos e produtos relacionados.

História[editar | editar código-fonte]

Antoine Lavoisier (1743–94) é considerado "o pai da química moderna".

As raízes da química podem ser atribuídas ao fenômeno de queima. O fogo era uma força mística que transformava uma substância em outra e de interesse primordial para a humanidade. A utilização do fogo levou à descoberta do ferro, do vidro e do ouro: este último tornou-se um metal precioso e logo muitas pessoas estavam interessadas em encontrar um método para tranformar outras substâncias nele. Isto levou ao desenvolvimento da protociência chamada alquimia. A palavra químico é derivada do neolatim chimista, uma abreviação de alchimista (alquimista). Os alquimistas descobriram muitos processos químicos que levaram ao desenvolvimento da química moderna e esta química como se conhece hoje, foi concebida especialmente por Antoine Lavoisier com a sua lei da conservação de massa de 1783. As descobertas dos elementos químicos possuem uma longa história e culminou na criação da tabela periódica por Dmitri Mendeleev. O Prêmio Nobel de Química, criado em 1901, forneceu uma excelente visão geral sobre as descoberta em química desde o início do século 20.

Educação[editar | editar código-fonte]

Muhammad ibn Zakariya ar-Razi (Rasis), químico persa e um dos alquimistas mais famosos: descobriu o processo de preparar álcool, isolou muitas substâncias, produziu muitos medicamentos e descreveu muitos aparatos de laboratório.

Cargos para exercer a função de químico exigem ao menos o diploma de nível superior, mas muitas posições, especialmente aquelas em pesquisa, exigem o doutorado. A graduação em química enfatiza grande carga horária em disciplinas da matemática (cálculo diferencial, cálculo integral, geometria analítica) e física (mecânica, termodinâmica, eletricidade e óptica) em parte porque a química é tida como a "Ciência Central", assim químicos deveriam ter um amplo conhecimento sobre ciências. Na pós-graduação (mestrado e doutorado), os estudantes se especializam em um campo especial. As áreas de especialização incluem a bioquímica, a química nuclear, química orgânica, química inorgânica, química de polímeros, química analítica química teórica, química quântica, química ambiental, físico-química, química de materiais entre outras. Experiência de pós-doutorado pode ser necessária para determinadas posições.

Trabalhadores cuja atividade envolve química, mas não necessitam de curso de nível superior, são referidos como técnicos químicos. Os técnicos em química atuam em trabalhos de análises de amostras, controle de qualidade em laboratórios entre outros.

Empregabilidade[editar | editar código-fonte]

As principais frentes de trabalho para os químicos são as instituições de ensino, a indústria, e os laboratórios de pesquisa.

A química está dividida em várias sub-disciplinas, mas existem também vários campos interdisciplinares e campos especializados. Há uma grande interface entre os diferentes ramos da química com outras áreas científicas como biologia, medicina, física, radiologia, farmácia, nutrição e engenharia, ampliando consideravelmente o campo de atuação do químico:

Profissional químico preparando célula de combustível para testes.
  • Química analítica: análise de amostras de determinado material para compreensão de sua composição química e estrutura. As metodologias da química analítica podem ser usados ​​em todas as subdisciplinas de química, excluindo os estudos puramente teóricos;
  • Bioquímica é o estudo dos produtos, reações e interações que ocorrem em seres vivos. A química orgânica e a bioquímica estão intimamente relacionadas, por exemplo, na química medicinal;
  • Química inorgânica é o estudo das propriedades e das reações dos compostos inorgânicos. A distinção entre disciplinas orgânicos e inorgânicos não é absoluta e há muitas interfaces, sendo a química de organometálicos a subdisciplina mais importante. A química inorgânica também estuda as ligações químicas e a estrutura molecular e atômica.
  • Química medicinal é a ciência envolvida no projeto, síntese e desenvolvimento de fármacos; envolve a identificação, síntese e desenvolvimento de novas entidades químicas adequadas para uso terapêutico; inclui o estudo de drogas existentes, suas propriedades biológicas e a relação estrutura-atividade (REA).
  • Química orgânica é o estudo da estrutura, propriedades, composição, mecanismos e reações de compostos orgânicos. Os químicos orgânicos também podem se especializar em purificação e separação de compostos orgânicos.
  • Química teórica é o estudo da química através de raciocínios teóricos (geralmente abordando em conjunto a física e/ou a matemática). Em particular, a aplicação de mecânica quântica para a química é chamada de química quântica. Desde o final da Segunda Guerra Mundial, o desenvolvimento de computadores tem permitido o desenvolvimento sistemático da química computacional, que é a arte do desenvolvimento e aplicação de programas de computador para resolver problemas químicos. A química teórica tem grande interface com a física da matéria condensada e a física molecular.

As áreas citadas acima são as principais em empregar químicos. Outros campos incluem a química atmosférica, química de alimentos, cosmetologia, engenharia química, quimio-informática, eletroquímica, ciências ambientais, química forense, geoquímica, química verde, ciência dos materiais, ciências médicas, biologia molecular, genética molecular, nanotecnologia, química nuclear, enologia, química de organometálicos, petroquímica, farmacologia, fotoquímica, fitoquímica, química de polímeros, química supramolecular e química de superfície.2

Papel do químico[editar | editar código-fonte]

O químico é um cientista experimentador. O químico Michael Faraday foi por esta razão chamado de "o príncipe dos experimentadores". Hervé This recorda no seu livro, La sagesse du chimiste3 a frase de Lavoisier que definem o papel do químico: "Nunca concluir além de que as experiências mostram".

Referências

  1. Química - Guia do Estudante
  2. Conselho Regional de Química - O que faz um químico?
  3. Hervé This, La sagesse du chimiste, citação na p.48.