Quimioinformática

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Quimioinformática é uma área interdisciplinar que envolve a Química e a Informática e consiste no uso de técnicas computacionais aplicadas a uma gama de problemas no campo da Química. Essas técnicas in silico são utilizadas em companhias farmacêuticas no processo de descoberta de medicamentos. Esses métodos podem também ser utilizados de várias formas em indústrias químicas e correlatas.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Ninguém sabe ao certo quando começou o desenvolvimento da Quimioinformática, mas alguns autores, como por exemplo Johann Gasteiger afirmam que a Quimioinformática foi se desenvolvendo durante os últimos 40 anos e atingiu o seu ápice apenas nos últimos 10 anos.[1]

O termo foi definido em 1998 por Frank Brown:[2] [3]

Chemoinformatics is the mixing of those information resources to transform data into information and information into knowledge for the intended purpose of making better decisions faster in the area of drug lead identification and optimization.

Pode-se dizer que o desenvolvimento da Quimioinformática teve o seu início na década de 1960, mais precisamente em 1965 com a publicação do algoritmo de Morgan [4] que é um algoritmo utilizado no Chemical Abstracts Service com o intuito de gerar um identificador numérico único para cada estrutura química conhecida.

Representação de uma estrutura química[editar | editar código-fonte]

Uma dos primeiros desafios da Quimioinformática foi encontrar uma maneira de se representar uma estrura química de forma que fosse tangível por uma máquina. Diversos algoritmos foram desenvolvidos com este fim, sendo que as representações em linha e de matrix de conectividade são as mais populares e utilizadas por diversos softwares.

Referências

  1. J. Gasteiger The central role of chemoinformatics. Chem. Intell. Lab. Syst., 2006, 200-209.
  2. F.K. Brown Chapter 35. Chemoinformatics: What is it and How does it Impact Drug Discovery. Annual Reports in Med. Chem., Ed. James A. Bristol, 1998, Vol. 33, pp. 375.
  3. Brown, Frank. Editorial Opinion: Chemoinformatics – a ten year update Current Opinion in Drug Discovery & Development (2005), 8(3), 296-302.
  4. Morgan, H. L. J. Chem. Doc, 5, 107.