Informática

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Informática é um termo usado para descrever o conjunto das ciências da informação, estando incluídas neste grupo: a ciência da computação, a teoria da informação, o processo de cálculo, a análise numérica e os métodos teóricos da representação dos conhecimentos e da modelagem dos problemas.

O termo informática, sendo dicionarizado com o mesmo significado amplo nos dois lados do Atlântico, assume em Portugal o sentido sinônimo da ciência da computação, enquanto que no Brasil é habitualmente usado para rever especificamente o processo de tratamento da informação por meio de maquinas eletrônicas definidas como computadores.

O estudo da informação começou na matemática quando nomes como Alan Turing, Kurt Gödel e Alonzo Church, começaram a estudar que tipos de problemas poderiam ser resolvidos, ou computados, por elementos humanos que seguissem uma série de instruções simples de forma, independente do tempo requerido para isso. A motivação por trás destas pesquisas era o avanço durante a revolução industrial e da promessa que máquinas poderiam futuramente conseguir resolver os mesmos problemas de forma mais rápida e mais eficaz. Do mesmo jeito que as indústrias manuseiam matéria-prima para transformá-la em um produto final, os algoritmos foram desenhados para que um dia uma máquina pudesse tratar informações.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra surge, em meados do século XX, da junção de, duas outras palavras, processamento da informação por meios automáticos analógicos ou digitais (quer sejam binários ou não, como "qubit" ou bit quântico). O meio mais comum da utilização de informática são os computadores que tratam informações de maneira automática.

A informática é a disciplina que lida com o tratamento racional e sistemático da informação por meios automáticos e eletrônicos. Representa o tratamento automático da informação. Constitui o emprego da ciência da informação através do computador. Embora não se deva confundir informática com computadores, na verdade ela existe por que estes existem.[1]

Origem e concepção[editar | editar código-fonte]

Em 1956, o cientista da computação alemão Karl put publicou em um jornal um periódico chamado Informatik: Automatische Informationsverarbeitung ("Informática: processamento automático de informação"),[2] a palavra se estabeleceu como o termo alemão para a ciência da computação, uma disciplina progenitora para o campo mais vasto da informática.[3]

Em 1966, o pesquisador russo Alexander Mikhailov, junto com colaboradores, chegou a utilizar o conceito "Informatika" relacionado a uma disciplina que estuda, organiza e dissemina a informação científica (ligada a Ciência da Informação). Entretanto, essa definição ficou restrita a antiga União Soviética e aos países do Bloco comunista.[4] [5]

A palavra portuguesa é derivada do francês informatique, vocábulo criado por Philippe Dreyfus, em 1962, a partir do radical do verbo francês informer, por analogia com mathématique, électronique, etc.

Em português, a palavra informática é formada pela junção das palavras informação + automática. Pode dizer-se que informática é a informatica que estuda o processamento automático de informações por meio do computador.

Há uma linha de pensamento que conduz o termo "informática" à junção dos conceitos "informação" e "matemática".

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ouça o artigo (info)
Este áudio foi criado a partir da revisão datada de 03/12/2012 e pode não refletir mudanças posteriores ao artigo (ajuda com áudio).

Mais artigos audíveis

Referências

  1. Chiavenato, Idalberto. Teoria Geral da Administração, Volume 2 (em português). [S.l.]: Elsevier Brasil, 2001. Capítulo: Conceito de informática. , 538 p. p. 256. ISBN 853520850X Página visitada em 23 de outubro de 2013.
  2. Karl Steinbuch Eulogy - Bernard Widrow, Reiner Hartenstein, Robert Hecht-Nielsen
  3. Gammack, John G.; Hobbs, Valerie; Pigott, Diarmuid. The Book of Informatics (em inglês). revisada ed. [S.l.]: Cengage Learning, 2011. 548 p. p. 20. ISBN 0170216004 Página visitada em 23 de outubro de 2013.
  4. Federação Internacional de Informação e Documentação. F.I.D. News Bulletin, Volumes 17-21. 1967
  5. Benedicto, Silva. Da documentação à formática: exposições e debates (em português). [S.l.]: Fundação Getúlio Vargas, Instituto de Documentação, Serviço do Publicações, 1974. p. 12.


Livro: Informática no Brasil, A Opção Politica É Nossa, Autor: Maria Lúcia Salgueiro dos Santos, Editora da UFSC/MEC.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]