António Brandão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António Brandão
Nascimento 1584
Alcobaça
Morte 27 de novembro de 1637 (53 anos)
Alcobaça
Cidadania Portugal
Ocupação historiador, religioso
Magnum opus Monarchia Lusytana
Autógrafo de Frei António Brandão, num manuscrito datado de 1622 (Biblioteca Nacional de Portugal).

Frei António Brandão (Alcobaça, Alcobaça, 1584 - 1637), monge da Ordem de Cister, historiador português.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Considerado como o primeiro a elaborar uma história científica de Portugal, trabalhou no Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, ligando o seu nome ao primeiro grande estudo sobre História de Portugal: a Monarquia Lusitana, de que foi autor da terceira e quarta partes, sucedendo na tarefa a Frei Bernardo de Brito. Foi sucedido na continuação da crónica Monarquia Lusitana por Frei Francisco Brandão.

Ainda hoje existe em homenagem a António Brandão uma escola com o seu nome na Benedita.

Existe outro Frei António Brandão, igualmente natural de Alcobaça, cujo nome se liga ao governo da Índia Portuguesa, como interino, entre 1678 e 1681.

Obras[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. «O Archivo Popular». volume 6. Books.google.com 


Precedido por
Manuel de Meneses
Cronista-mor
1628-1637
Sucedido por
...