Antilocapridae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde setembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Como ler uma caixa taxonómicaAntilocapridae
Pronghorn antelope.jpg

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Subclasse: Theria
Infraclasse: Eutheria
Ordem: Artiodactyla
Família: Antilocapridae

O antilocapra (Antilocapra americana) é um ungulado artiodáctilo nativo da América do Norte e um dos animais mais rápidos do mundo, com velocidades de sprint que atingem até 100 km/h. A espécie é a única do seu género e da família Antilocapridae e inclui quatro subespécies, com distribuições geográficas diferentes. As outras espécies da família estão todas extintas.

O antilocapra macho pesa entre 45 e 60 kg, sendo a fêmea menor com 35 a 45 kg. Os machos possuem um par de cornos com cerca de 30 cm de comprimento, estruturados em torno de uma base óssea e forrados com uma substância pilosa que é renovada anualmente. Algumas fêmeas têm também cornos, sempre menores e mais rectilíneos que os dos machos. A coloração é de cor castanha dourada, com barriga, zona da cauda e queixo brancos. O antilocapra tem também duas riscas horizontais de cor branca na garganta. Os machos apresentam uma crina castanha e uma mascara mais escura em torno dos olhos. As crias de cor acinzentada nascem com 2 a 4 kg de peso.

Evolução[editar | editar código-fonte]

Os antilocaprids evoluíram na América do Norte, onde preencheram um nicho semelhante ao dos bovídeos que evoluíram no Velho Mundo. Durante o Mioceno e o Plioceno, eles eram um grupo diversificado e bem sucedido, com muitas espécies diferentes. Alguns tinham chifres com formas bizarras, ou tinha quatro, ou até seis, chifres. Exemplos incluem Osbornoceros, com suaves e chifres ligeiramente curvados, Paracosoryx, com chifres achatados,Ramoceros, com chifres em forma de leque, e Hayoceros, com quatro chifres.[1] [2]


Classificação[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Savage, RJG, & Long, MR. Mammal Evolution: an illustrated guide. [S.l.: s.n.], 1986. ISBN 0-8160-1194-X
  2. In: Palmer, D.. The Marshall Illustrated Encyclopedia of Dinosaurs and Prehistoric Animals. [S.l.: s.n.], 1999. ISBN 1-84028-152-9