Apagão nos Estados Unidos e Canadá em 2003

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estados e províncias afetados pelo apagão. Nem todas as áreas dos limites políticos de cada região foram afetadas.

O apagão estadunidense e canadense de 2003 foi uma queda de energia generalizada que ocorreu em partes do Nordeste e Meio-Oeste dos Estados Unidos e em Ontário, Canadá na quinta-feira, 14 de agosto de 2003, pouco antes de 16h10 (hora local, UTC−4). Na época, foi o segundo maior apagão da história, atrás apenas do apagão brasileiro de 1999. Um total de 55 milhões de pessoas foram afetadas pelo apagão, 10 milhões no Canadá e 45 milhões nos Estados Unidos.

O blecaute causou transtornos no trânsito, nos sistemas de comunicação, nos aeroportos e hospitais.

Segundo reportagem do "The New York Times", o apagão de 2003 nos EUA deixou prejuízos de mais US$ 6 bilhões.[1] [2] [3] [4]

Causa[editar | editar código-fonte]

Agentes de segurança e informação do governo dos Estados Unidos têm vários indícios que sofreram ataques de hackers. O apagão qual deixou dezenas de cidades no escuro em 2003 foi obra de cibercriminosos, mencionou de forma indireta o presidente americano, Barack Obama. Num discurso em maio deste ano, Obama disse: "De acordo com agentes de segurança que fizeram os relatórios, nós sabemos que hackers colocaram à prova nosso sistema interligado de energia e jogaram cidades inteiras na escuridão". Autoridades dos EUA já chegaram até a mencionar o assunto em público. Em junho de 2007, o então secretário assistente de Defesa dos EUA, John Grines, numa conferência em Paris, disse o seguinte: "Não faz muito tempo, houve um ataque de hackers ao sistema de energia americano vindo do Brasil, que causou grandes distúrbios".

Em uma reportagem publicada pela revista norte-americana "Wired", um ex-assessor especial no governo de George W. Bush, também mencionou o episódio. "Dado o grau de seriedade com que a administração Obama trata a segurança cibernética e a rede inteligente de transmissão de energia, nós podemos nos preparar para acontecer aqui o tipo de coisa que aconteceu, onde hackers brasileiros conseguiram, com sucesso, derrubar o fornecimento de energia", disse Richard Clarke, hoje presidente da Good Harbor, uma empresa que faz consultoria nessa área. De acordo com Steve Kroft, do programa “60 minutes”, as falhas no abastecimento de energia foram executadas por especialistas em tecnologia durante uma conferência sobre segurança da informação (DefCon), qual ocorrera na Califórnia, no mesmo período.

O jornalista afirma que os dados foram retirados de uma investigação específica sobre o caso contra a infraestrutura. Os ataques teriam supostamente sido efetuados por 4 especialista em segurança da informação: Everton Gava, Arthur Ferreira e Ulisses Guedes. A reportagem informou que os especialistas teriam como objetivo demonstrar as vunerabilidades das infraestruturas atuais, e o sistema de abastecimento de energia foi atacado por engano, os alvos eram os sistemas de segurança da Casa Branca e do Pentágono." De acordo com a publicação, Ulisses é ex-prestador de serviços da NSA, e o Everton, atual prestador do NSA e colaborador do Google X Labs. A Wired e os outros veículos de comunicação tentaram localizar sem sucesso todos os envolvidos no episódio. "Todos desapareceram", concluiu o jornalista. A reportagem também menciona a aparição do Everton Gava na lista de colaboradores da NSA oferecida por Edward Snowden e Glenn Greenwald, no caso de espionagem dos presidentes brasileiros Lula e Dilma. [5] [6] [7] [8]

Áreas afetadas[editar | editar código-fonte]

Imagem de satélite da NOAA um dia antes e na noite da queda de energia.
Maiores cidades afetadas
Cidade Número de pessoas afetadas
Região Metropolitana de Nova Iorque 14.300.000
Região Metropolitana de Toronto 8.300.000
Newark e condados ao redor 6.980.000
Detroit e região 5.400.000
Cleveland e região metropolitana 2.900.000
Ottawa 780.000 a 1.120.000*
Buffalo e região 1.100.000
Rochester 1.050.000
Baltimore e condados ao redor 710.000
London (Ontário) e região 475.000
Toledo 310.000
Windsor 208.000
Total estimado 55.000.000

*Ottawa-Gatineau é um caso especial em que é dividido por um limite provincial e as redes de Ontário e Quebec não se conectam de forma síncrona. Gatineau tinha energia. Isso podia ser visto ao atravessar a Ponte Portage entre Gatineau e Ottawa - o corte foi na linha provincial (luzes de rua na ponte ainda estavam acesas no lado quebequense da estrutura.)

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências