Abelha-europeia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Apis mellifera)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAbelha-europeia
Apis mellifera 2 Luc Viatour edit 1.jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Hymenoptera
Subordem: Apocrita
Superfamília: Apoidea
Família: Apidae
Género: Apis
Espécie: A. mellifera
Nome binomial
Apis mellifera
Linnaeus, 1758
Subespécies
Ver texto
Nascimento de uma abelha

A abelha-europeia (Apis mellifera) é uma abelha social, de origem europeia, cujas obreiras medem de 12 mm a 13 mm de comprimento e apresentam pelos do tórax mais escuros. Também é chamada abelha-alemã, abelha-comum, abelha-da-europa, abelha-de-mel, abelha-doméstica, abelha-do-reino, abelha-escura, abelha-europa, abelha-preta e oropa.

A abelha comum ocidental é originária da Ásia e da Europa e foi introduzida na América por ingleses e espanhóis. Vive em colónias permanentes, formadas por uma «rainha» ou «abelha-mestra» (no máximo, e excepcionalmente, duas), obreiras (entre 10 mil e 15 mil). Os zangões são os responsáveis pela fecundação da rainha e ocorrem quando há previsão de grande florada ou o nascimento de uma rainha ainda virgem. São os únicos que entram em qualquer colmeia sem impedimentos. As abelhas, rainhas ou operárias, possuem ferrão.

As abelhas vivem em colmeias, que podem ser artificiais ou naturais. Em seu interior, as operarias usam cera para construir os favos (formados por células em forma de prisma hexagonal), onde armazenam mel e pólen para alimentar tanto as larvas como os insetos adultos.

A rainha ocupa-se exclusivamente em pôr ovos que podem chegar a cerca de 3 mil por dia dependendo da florada. É ela, a rainha, que comanda e dá as ordens na colmeia. Quando a colmeia necessita de uma fêmea fecunda, as obreiras constroem um alvéolo maior, onde são depositados os ovos fecundados. As larvas desses ovos recebem uma alimentação especial e convertem-se em rainhas. Como cada enxame só há uma rainha, gera-se uma batalha entre as rainhas presentes na colmeia podendo haver até a morte, permanecendo apenas uma delas. As vencidas são jogadas para fora da colmeia.

Os zangões são os elementos improdutivos da colônia e a sua principal função é fecundar a rainha. Função primordial para a perpetuação do enxame pois a rainha não fecundada pode colocar ovos, mas serão apenas de zangões, pois estes são filhos apenas da rainha. Quando os ovos são fecundados nascem as operárias, importantes para a manutenção e crescimento do enxame.

Normalmente, todos os anos, cada colônia libera um ou mais enxames, sempre contendo uma rainha que se instala noutro lugar, com abundância de flores, onde funda uma nova colônia. É assim que a espécie se propaga.

Elas não são naturais do Brasil, mas foram introduzidas em 1839, para suprir apiários na produção de mel e cera. As abelhas africanizadas foram introduzidas na década de 1960.

Subespécies[editar | editar código-fonte]

Europa
África
Ásia


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikispecies Diretório no Wikispecies

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Apis mellifera, Animal Diversity Web. Acedido em 16 de Janeiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre insetos, integrado no Projeto Artrópodes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.