Artur de Vasconcelos Sobral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Artur José Fernandes de Vasconcelos Sobral (Mértola, 1930-2016) foi um poeta e contista Português. Com o nome Vasconcellos Sobral, publicou nos anos 60 quatro livros e um conto incluído na Antologia do Conto Fantástico Português. Foi ainda autor do poema integrado no Epílogo da 4ª Sinfonia de Joly Braga Santos o qual chegou a ser proposto para Hino Mundial da Juventude.

Foi Condecorado em 2008 com a Medalha de Ouro do Concelho de Sintra[1]. Faleceu no dia 6 de Abril de 2016, poucos dias depois de editar a sua última obra.

Obras[editar | editar código-fonte]

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • O Quotidiano Gritado (1963)
  • Tapume (1966)
  • Heteroácido (1966)
  • O Tempo e a Dor (1969)
  • Na Memória dos Astros (1998)
  • Homenagem à Música (2010)
  • Fulgor nas Trevas - Os intérpretes (2016)

Ficção[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Actas da Câmara Municipal de Sintra». Cm-sintra.pt. Consultado em 5 de abril de 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.