Atentado do Metro de Minsk de 2011

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O atentado do Metro de Minsk é um acontecimento em que um explosivo acabou com a vida de 11 pessoas no Metro de Minsk, na Bielorrússia.[1]A explosão teve lugar na Estação de Oktiabrskaya cuja parada enlaça com as linhas 1 e 2.[2] As primeiras hipóteses recolhidas pela imprensa apontaram a um atentado.[3]

Ainda que num primeiro momento desconheciam-se as causas, no lugar da explosão encontraram-se restos de fragmentos de explosivos. O Presidente Aleksandr Lukashenko declarou que o objectivo da explosão era afectar a "tranquilidade e a estabilidade" e apontou a movimentos estrangeiros como possíveis responsáveis, ainda que também tenha ordenado uma investigação exaustiva.[4] A promotoria iniciou uma investigação criminosa e qualificaram o acontecimento como ataque terrorista.[5] A explosão ocorreu para perto de a residência presidencial de Aleksandr Lukashenko.[6][7]

Segundo o presidente da companhia metropolitana, a explosão produziu-se às 17:56 hora local. Mais tarde anunciaria que tudo se produziu pela detonação de um artefacto desconhecido. Os afectados pela explosão foram transladados a vários hospitais clínicos da capital. O tráfico também se viu prejudicado na Avenida da Independência afectando só aos automóveis. Os passageiros das estações metropolitanas de Ploshcha Yayuba Kolasa e Ploshcha Lenina tiveram proibida a entrada ao metro.

Referências