Batalha de Varsóvia (1920)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Varsóvia
Guerra Polaco-Soviética
Polish-soviet war 1920 Aftermath of Battle of Warsaw.jpg
Data 1920
Local próximo à cidade de Varsóvia, Polônia
Desfecho Vitória decisiva da Polônia
Combatentes
Polônia União Soviética
Comandantes
Józef Piłsudski
Tadeusz Rozwadowski
Mikhail Tukhachevsky
Forças
De 113 000 a 123 000 De 104 000 a 140 000
Baixas
4 500 25 000

A Batalha de Varsóvia, também referida como o Milagre no Vístula, foi uma batalha decisiva entre Polônia e União Soviética. A guerra começou próximo do final da Primeira Guerra Mundial em 1918 e se estendeu até o Tratado de Riga, resultando no fim das hostilidades entre os dois países em 1921.

A batalha foi disputada entre 12 e 25 de agosto de 1920, quando o Exército Vermelho comandado por Mikhail Tukhachevsky se aproximou da capital polonesa de Varsóvia, com o intuito de capturá-la e ali instalar um governo pró-soviético. Os poloneses entrincheiraram os arredores da cidade e conseguiram mobilizar milhares de voluntários, tanto homens quanto mulheres. O avanço soviético deu-se em dois eixos distintos. Um diretamente contra Varsóvia (XVIº Exército soviético) e o outro mais ao norte, com a intenção contornar as defesas polonesas e capturar a cidade pela retaguarda [1]. Nesta segunda rota foram detidos pelo Vº Exército polonês, nos arredores da Fortaleza de Modlin[2]. Por outro lado, as linhas defensivas de Varsóvia se mostraram menos firmes do que se esperava, por conta do despreparo das tropas e do moral abalado por semanas de recuo [3].

Em 16 de agosto, as forças polonesas comandadas por Józef Piłsudski contra-atacaram do sul, desorganizando a ofensiva inimiga e obrigando as forças russas a retirarem-se a leste, para trás do Rio Neman.

A reação polaca, contra o flanco esquerdo soviético

Antes da vitória polonesa no Vístula, tanto os bolcheviques quanto a maioria dos especialistas estrangeiros consideravam que a Polônia estava à beira da derrota. A impressionante vitória desmontou as forças bolcheviques.

Nos meses seguintes, muitas outras vitórias polonesas garantiram a autonomia do país, levando a um tratado de paz com a União Soviética no final daquele ano. O acordo fixou as fronteiras orientais do Estado Polonês que estiveram vigentes por 20 anos, até a nova invasão da do país pela União Soviética em 17 de setembro de 1939.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Adam Zamoyski. Varsóvia 1920. Record, Rio de Janeiro, 2013, ISBN 978-85-01-08295-4
  • Edgar Vincent D'Abernon, The Eighteenth Decisive Battle of the World: Warsaw, 1920, Hyperion Press, 1977, ISBN 0-88355-429-1.
  • Norman Davies, White Eagle, Red Star: the Polish-Soviet War, 1919–20, Pimlico, 2003, ISBN 0-7126-0694-7.
  • J. F. C. Fuller, The Decisive Battles of the Western World, Hunter Publishing, ISBN 0-586-08036-8.
  • Goldman Stuart D., Nomonhan, 1939; The Red Army's Victory That Shaped World War II, (2012), Naval Institute Press, ISBN 978-1-59114-329-1
  • Richard M. Watt, Bitter Glory: Poland and Its Fate, 1918–1939, Hippocrene Books, 1998, ISBN 0-7818-0673-9.
  • M. Tarczyński, Cud nad Wisłą, Warszawa, 1990.
  • Józef Piłsudski, Pisma zbiorowe, Warszawa, 1937, reprinted by Krajowa Agencja Wydawnicza, 1991, ISBN 83-03-03059-0.
  • Mikhail Tukhachevski, Lectures at Military Academy in Moscow, February 7–10, 1923, reprinted in Pochód za Wisłę (March across the Vistula), Łódź, 1989.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Batalha de Varsóvia (1920)
  • ZAMOYSKI, Adam. Varsóvia 1920. Record, Rio de Janeiro, 2013, p.100
  • ZAMOYSKI, Adam. Varsóvia 1920. Record, Rio de Janeiro, 2013, p.124
  • ZAMOYSKI, Adam. Varsóvia 1920. Record, Rio de Janeiro, 2013, p.119