Burro-de-miranda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaBurro-de-miranda ou burro mirandês
Burro de miranda.jpg
Estado de conservação
Espécie vulnerável
Vulnerável
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Perissodactyla
Família: Equidae
Género: Equus
Espécie: Equus africanus
Subespécie: E. a. asinus
Nome trinomial
Equus africanus asinus
Linnaeus, 1758

O burro-de-miranda ou burro mirandês é uma subespécie asinina característica da região de Terra de Miranda, Portugal. Presente no entorno desde tempos remotos, essa varidade de burro adaptou-se às condições orográficas da região e ao solo pobre em nutrientes. Tendo gozado de grande popularidade no passado, hoje o animal corre risco de extinção.[carece de fontes?]

Características[editar | editar código-fonte]

O burro-de-miranda diferencia-se de outras espécies de asno por algumas características.[carece de fontes?] Com pelagem comprida e grossa de cor castanha escura, apresenta manchas claras nas costas e na região inferior do tronco. Suas orelhas são peludas, grandes, largas na base e redondas na ponta. De estatura elevada, em torno de 1,35 m, ele é fisicamente robusto e com patas grossas. Seu temperamento é extremamente dócil.

Tais características coadunam-se com a amplitude térmica da região, que pode variar muito a depender da época do ano, bem como à escassez de nutrientes.

Extinção[editar | editar código-fonte]

No passado, o burro-de-miranda situava-se no centro da sociedade mirandesa, tendo havido grandes feiras para o comércio desse animal—as chamadas "feiras de burros". Apesar de ainda hoje ser muito útil a pequenas comunidades locais, como animal de tração, de tiro e de transporte, o burro-de-miranda vem, contudo, sofrendo gradual processo de redução de sua população. Isso se deve ao desinteresse em cultivar a espécie, em face de alternativas modernas de transporte e tração, bem como aos impactos ambientais causados pelo homem a seu habitat e aos maus tratos sofridos por alguns exemplares da subespécie. A miscigenação com outras espécies também é um risco para a perpetuação do burro-de-miranda.

Entendendo que este animal é parte relevante da cultura e da fauna locais, diversos grupos têm promovido iniciativas para a preservação e reinserção do burro-de-miranda na sociedade mirandesa. Seja como alternativa econômica e ecologicamente sustentável para o dia-a-dia, seja como animal de estimação, dado seu caráter dócil, seja mesmo como elemento da vida natural da região.

Entre essas iniciativas, destacam-se a Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino (AEPGA) e o festival itinerante de cultura tradicional "L Burro I L Gueiteiro", do qual participam grupos como o Galandum Galundaina.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre perissodáctilos, integrado no Projeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.