CID-10

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde. (desde julho de 2018)
Se discorda, discuta sobre esta fusão aqui.
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Logo da OMS.

CID-10 é o acrónimo da Classificação internacional de doenças, décima versão correspondente à versão em português da (em inglês) ICD, siglas de International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems) e determina a classificação e codificação das doenças e uma ampla variedade de sinais, sintomas, achados anormais, denúncias, circunstâncias sociais e causas externas de danos e/ou doença.[1] Está prevista sua substituição pela CID-11,[2][3] lançada dia 18 de junho de 2018[4], para entrar em vigor a partir de 2022.[4]

História[editar | editar código-fonte]

A CID foi publicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ocupa-se a nível internacional para fins estatísticos relacionados com morbilidad e mortalidade, os sistemas de reintegro e suportes de decisão automática em medicina. Este sistema está desenhado para promover a comparação internacional da coleta, processamento, classificação e apresentação destas estatísticas. A CID é a classificação central da WHO Family of International Classifications (WHO-FIC) (em espanhol, a Família de Classificações Internacionais da OMS).[5]


A lista CID-10 tem sua origem na «Lista de causas de morte», cuja primeira edição realizou-a o Instituto Internacional de Estatística em 1893. A OMS fez-se cargo da mesma em 1948, na sexta edição, a primeira em incluir também causas de morbilidade. À data, a lista em vigor é a décima, e a OMS segue trabalhando nela.

A CID-10 desenvolveu-se em 1992 e seu propósito foi rastrear estatísticas de mortalidade. A OMS publica actualizações menores anuais e actualizações maiores a cada três anos. Em 18 de junho de 2018[4], foi lançada pela OMS a CID-11, com aproximadamente 55 mil códigos únicos para lesões, doenças e causas de morte, que entrará em vigor em 1 de janeiro de 2022.[2][4]

Posteriormente, alguns países têm criado suas próprias extensões do código CID-10. Por exemplo, Austrália apresentou a sua primeira edição, a ««CIE-10-AM»». web.archive.org  em 1998; Canadá publicou a sua versão no ano 2000, a ««CIE-10-CA».». web.archive.org  Alemanha também tem a sua própria extensão, a «CID-10-GM».

Nos E.U.A acrescentou-se o anexo com o sistema de classificação de procedimentos ou ICD-10-PCS.Apesar de que já utilizam o manual de procedimentos, Estados Unidos e Porto Rico se estão a preparar para a implementação do Sistema de Classificação de Doenças para começar em outubro de 2015.

Codificação[editar | editar código-fonte]

Cada doença pode ser dada a uma categoria e receber um código de até seis caracteres de longitude (em formato de X00.00). Cada uma das tais categorias pode incluir um grupo de doenças similares.

Capítulo Códigos Título
I A00-B99 Algumas doenças infecciosas e parasitárias.
II C00-D48 Neoplasmas (tumores).
III D50-D89 Doenças do sangue e dos órgãos hematopoéticos e alguns transtornos imunitários.
IV E00-E90 Doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas.
V F00-F99 Transtornos mentais e comportamentais.
VI G00-G99 Doenças do sistema nervoso.
VII H00-H59 Doenças do olho e anexos.
VIII H60-H95 Doenças do ouvido e da apófise mastoide.
IX I00-I99 Doenças do aparelho circulatório.
X J00-J99 Doenças do aparelho respiratório.
XI K00-K93 Doenças do aparelho digestivo.
XII L00-L99 Doenças da pele e do tecido subcutâneo.
XIII M00-M99 Doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo.
XIV N00-N99 Doenças do aparelho geniturinário.
XV O00-O99 Gravidez, parto e puerpério.
XVI P00-P96 Algumas afecções originadas no período perinatal.
XVII Q00-Q99 Malformações congênitas, deformidades e anomalias cromossômicas.
XVIII R00-R99 Sintomas, sinais e achados anormais de exames clínicos e de laboratório, não classificados em outra parte
XIX S00-T98 Lesões, envenenamentos e algumas outras conseqüências de causas externas.
XX V01-Y98 Causas externas de morbidade e de mortalidade.
XXI Z00-Z99 Fatores que influenciam o estado de saúde e o contato com os serviços de saúde.
XXII U00-U99 Códigos para propósitos especiais.

Apêndices[editar | editar código-fonte]

  • A. Morfología das neoplasias
  • B. Classificação de fármacos por seu Número de Lista do Serviço de Formulários de Hospitais Norte-americanos e seu equivalente CIE-9-CM.
  • C. Classificação de Acidentes Industriais
  • D. Lista de categorias de três dígitos.00000

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «WHO. Classifications. International Classification of Diseases (ICD)». www.who.int. Consultado em 29 de junho de 2014. 
  2. a b «Versões provisionais do capítulo da CIE-11 sobre os transtornos mentais». psiquiatria.com. 7 de abril de 2017. Consultado em 8 de janeiro de 2018. 
  3. «eCIE10ES. Edição electrónica da CIE-10-ES. 2ª Edição-Janeiro 2018». Ministerio de Saúde, Serviços Sociais e Igualdade. Direção Geral d Saúde Pública, Qualidade e Inovação. Subdireção Geral de Informação Sanitária e Evaluação (em espanhol). Janeiro 2018. Consultado em 15 de janeiro de 2018. 
  4. a b c d «Nova classificação de doenças, CID-11, unifica Transtorno do Espectro do Autismo: 6A02 - Tismoo». Tismoo. 19 de junho de 2018. Consultado em 19 de junho de 2018. 
  5. «The WHO Family of International Classifications. WHO. Consultado el 29/06/2014.» (em inglês). www.who.int