Caio Lívio Salinador (cônsul em 188 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Caio Lívio Salinador
Cônsul da República Romana
Consulado 188 a.C.

Caio Lívio Salinador (em latim: Gaius Livius Salinator) foi um político da gente Lívia da República Romana eleito cônsul em 188 a.C. com Marco Valério Messala. Era filho de Marco Lívio Salinador, cônsul em 210 e 207 a.C. Provavelmente foi o fundador da cidade romana de Forum Livii, a moderna Forlì, mas é possível que a fundação tenha sido obra de seu pai. Seu cognome ("Salinador") é uma referência a um imposto sobre o sal criado durante o mandato de censor de seu pai e que passou a designar os membros de sua família.[1]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Em 193 a.C., serviu sob o comando do cônsul Lúcio Cornélio Merula na Batalha de Mutina contra os boios da Gália Cisalpina no comando da cavalaria romana, instrumental para a vitória romana.[2] Serviu depois como prefeito da frota durante seu mandato como pretor, em 191 a.C., durante a guerra romano-síria contra Antíoco III, do Império Selêucida, e derrotou o almirante Polixênidas numa batalha perto de Córico.[3][4] No ano seguinte, continuou comandando a frota até ser substituído por Lúcio Emílio Régilo.[5] Seguiu depois para a Lícia e, finalmente, para a corte de Prúsias, o rei da Bitínia.[6]

Consulado (188 a.C.)[editar | editar código-fonte]

Foi eleito cônsul em 188 a.C. com Marco Valério Messala e recebeu a Gália Cisalpina como província consular, mas não realizou ali nenhum feito de relevo.[7][8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Cneu Mânlio Vulsão

com Marco Fúlvio Nobilior

Caio Lívio Salinador
188 a.C.

com Marco Valério Messala

Sucedido por:
'Marco Emílio Lépido

com Caio Flamínio


Referências

  1. Lívio, Ab Urbe Condita XXIX 37.
  2. Lívio, Ab Urbe Condita XXXIV, 4-5.
  3. Lívio, Ab Urbe Condita XXXV 24.
  4. Este artigo contém texto do artigo "Polyxenidas" do Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology (em domínio público), de William Smith (1870).
  5. Lívio, Ab Urbe Condita XXXVI 2,42-44.
  6. Lívio, Ab Urbe Condita XXXVII 9-14, 16,25.
  7. Lívio, Ab Urbe Condita XXXVIII 35.
  8. Apiano, Syr. 22-25.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Fontes primárias[editar | editar código-fonte]

Fontes secundárias[editar | editar código-fonte]

  • Broughton, T. Robert S. (1951). The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I, número XV. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas