Candinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o filme com Mazzaropi, veja Candinho (filme).
Candinho
Informações pessoais
Nome completo José Candido Sotto Maior
Data de nasc. 18 de janeiro de 1945 (73 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP),  Brasil
Informações profissionais
Equipa atual Brasil Portuguesa (gerente de futebol)
Posição Gerente de futebol
(ex-Zagueiro / ex-Treinador)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1959


Brasil Palmeiras
Brasil Paulista
Canadá Olympique de Montreal
Venezuela Valencia
Times/Equipas que treinou

1979
1979
1980
1981
1982
1983
1984
1984–1985
1986
1987
1988
1988–1989
1988–1990
1990–1991
1992
1993
1993
1993–1996
1995–1996
1997
1997
1998–1999
1998–2000
1999
2000
2000–2001
2001–2002
2002–2003
2003
2004–2005
2005
2006
2006
2007
2010
2012–
Brasil Palmeiras (categorias de base)
Brasil Taubaté
Brasil Catanduvense
Brasil XV de Jaú
Brasil XV de Piracicaba
Brasil São Bento
Brasil Juventus
Brasil América
Arábia Saudita Al-Hilal
Brasil Grêmio
Brasil Santos
Brasil Flamengo
Arábia Saudita Al-Hilal
Brasil Fluminense
Brasil Bahia
Brasil Bragantino
Flag of Saudi Arabia.svg Arábia Saudita
Arábia Saudita Al-Hilal
Brasil Guarani
Brasil Portuguesa
Brasil Vitória
Brasil Corinthians
Brasil Portuguesa
Brasil Brasil (auxiliar-técnico)
Brasil Brasil (interino)
Brasil Brasil (interino)
Brasil Corinthians
Brasil Portuguesa
Brasil Bahia
Brasil Goiás
Arábia Saudita Al-Ittihad
Brasil Palmeiras
Brasil Portuguesa
Arábia Saudita Al-Hilal
Arábia Saudita Al-Ittihad
Brasil Palmeiras (gerente de futebol)
Brasil Portuguesa (gerente de futebol)

José Cândido Sotto Maior[1], mais conhecido como Candinho (São Paulo, 18 de janeiro de 1945), é um ex-treinador e ex-futebolista brasileiro, que atuou como zagueiro. Atualmente, é o gerente de futebol da Portuguesa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Nascido na capital paulista e tendo sido criado no bairro da Mooca, Candinho começou a jogar aos 14 anos, no Palmeiras. Depois, passou por Paulista de Jundiaí, Olympique de Montreal (do Canadá) e pelo futebol venezuelano, em um clube chamado Carabobo Fútbol Club, mas que é conhecido por Valencia.

Percorridos apenas 13 anos com a bola nos pés, Candinho acabou deixando os gramados por conta de uma grave fratura. Anos depois, decidiu ingressar na carreira de técnico.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Candinho iniciou sua carreira de treinador em equipes do interior paulista. Na Portuguesa foi onde obteve o maior reconhecimento profissional, ao levar a equipe, em 1996, à inédita final do Campeonato Brasileiro (perdida para o Grêmio, em Porto Alegre). Retornou ao clube como treinador por várias ocasiões. O Corinthians é outra equipe em que seu trabalho é lembrado.

Candinho assumiu o Corinthians pela primeira vez no final de 1997 já sabendo que não ficaria por muito tempo. Ameaçado de rebaixamento para a Série B, o time precisava de um bombeiro competente que apagasse aquele incêndio.

Candinho aceitou o desafio: treinar o time apenas nas três últimas rodadas daquela competição. Ganhou duas e, assim, fez o suficiente para livrar o Corinthians do rebaixamento. Ainda permaneceu no cargo durante a disputa de um torneio amistoso (o Festival do Futebol Brasileiro), mas, no início do ano seguinte, foi substituído por Vanderlei Luxemburgo.

Foi auxiliar-técnico do mesmo Luxemburgo na Seleção Brasileira de Futebol, entre 1998 e 2000. Depois da saída do técnico, Candinho ficou como interino por um jogo contra a Venezuela, quando o Brasil venceu por 6 a 0. No final de 2000, Candinho voltou ao Corinthians em situação semelhante, mas dessa vez o saldo foi desastroso: nove derrotas e apenas um empate na Copa João Havelange.

Gerente de futebol[editar | editar código-fonte]

Longe dos gramados desde 2007, quando comandou o Al-Ittihad, Candinho assumiu a vaga deixada por Toninho Cecílio na gerência de futebol do Palmeiras[2]. Após uma curta passagem pelo Alviverde, ainda como treinador, em 2005, Candinho repetiu o fraco desempenho também no novo cargo e, meses depois, foi substituído pelo ex-jogador César Sampaio.

Meses depois, foi convocado para ser gerente de uma velha conhecida em um momento crítico: a Portuguesa, que acabara de ser rebaixada para a Série A2 do Paulistão[3].

Títulos[editar | editar código-fonte]

Juventus-SP

Palmeiras

  • Taça 125 Anos do Corpo de Bombeiros (Palmeiras versus Santos): 2005[4][5]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Valdir Espinosa
Omar Borrás
Cedinho
Toninho Cerezo
Técnico do Al-Hilal
1984–1985
1988–1989
1993
2006
Sucedido por
Noagira
João Carlos Costa
José Oscar Bernardi
José Peseiro
Precedido por
Chico Formiga
Cabralzinho
Técnico do Santos
1987
1996
Sucedido por
Geninho
Orlando Amarelo
Precedido por
João Carlos Costa (interino)
Técnico do Flamengo
1988
Sucedido por
João Carlos Costa (interino)
Precedido por
Ismael Kurtz
Técnico do Fluminense
1988–1990
Sucedido por
Othon Valentim
Precedido por
Carbone
Evaristo de Macedo
Técnico do Bahia
1990–1991
2002–2003
Sucedido por
Gílson Nunes
Evaristo de Macedo
Precedido por
Nelsinho Rosa
Técnico da Seleção Saudita
1993
Sucedido por
Leo Beenhakker
Precedido por
Arturzinho
Técnico do Vitória
1997
Sucedido por
Evaristo de Macedo
Precedido por
Joel Santana
Vadão
Técnico do Corinthians
1997
2000
Sucedido por
Vanderlei Luxemburgo
Darío Pereyra
Precedido por

Dimitri Davidovic
Técnico do Al-Ittihad
2004–2005
2007
Sucedido por

Estevam Soares
Precedido por
Toninho Cecílio
Gerente de futebol do Palmeiras
2010
Sucedido por
César Sampaio

Referências

  1. ROZENBERG, Marcelo. «Que Fim Levou? Candinho». TerceiroTempo.com. Consultado em 18 de outubro de 2012 
  2. «Palmeiras anuncia Candinho como novo gerente de futebol». GloboEsporte.com 
  3. «Ex-técnico Candinho é o novo gerente de futebol da Portuguesa». Terra.com. Consultado em 19 de outubro de 2012 
  4. «Taça 125 Anos do Corpo de Bombeiros». Porcopédia.com. Consultado em 19 de outubro de 2012 
  5. «Palmeiras - Todos os Títulos». CampeõesDoFutebol.com