Capela de Nossa Senhora dos Remédios (Lisboa)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Capela de Nossa Senhora dos Remédios
Detalhe do portal manuelino da capela
Estilo dominante manuelino (portal), maneirista, barroco
Início da construção c. 1517
Fim da construção séculos XVII e XVIII (1757)
Religião Igreja Católica Romana
Diocese Arquidiocese de Lisboa
Património Nacional
DGPC 70628
SIPA 2484
Geografia
País Portugal Portugal
Região Distrito de Lisboa
Local Concelho de Lisboa
Coordenadas 38° 42' 42" N 9° 07' 40" O

A Capela de Nossa Senhora dos Remédios, também Ermida do Espírito Santo, é um edifício religioso situado na Rua dos Remédios, no bairro de Alfama, freguesia de Santa Maria Maior (Lisboa).

História[editar | editar código-fonte]

A capela tem a sua história ligada aos pescadores de Alfama e ao culto do Espírito Santo. Foi mandada construir cerca de 1517 pela Irmandade de São Pedro Telmo, cujos membros eram pescadores e mareantes.[1] A invocação da capela, dedicada a Nossa Senhora dos Remédios, está relacionada com uma antiga lenda, de acordo com a qual foi encontrada uma imagem da Virgem dentro de um poço, à entrada, cujas águas se tornaram milagrosas.[2]

Por volta de 1551 a irmandade construiu um hospital ao lado da capela, que mais tarde teria um papel importante na assistência a crianças abandonadas.[1] No início do século XVII foram construídas a sacristia, a casa de despacho e outras dependências da confraria.[1] Em 1694 tanto a igreja como edifícios associados foram remodelados,[1][2] mas após o terramoto de 1755, que afetou fortemente a zona, a igreja teve de ser reconstruída. Os trabalhos de restauro terminaram em 1757,[2] excepto o hospital, que não foi reconstruído.[1]

Arquitectura e arte[editar | editar código-fonte]

Apresenta características dos estilos manuelino e barroco. A fachada principal exibe um portal manuelino de arco polilobado com decoração vegetalista e um escudo com a pomba do Espírito Santo.[1] A capela é de nave única sem transepto coberta com tecto de estuque e capela-mor curta, também de planta rectangular. As paredes da nave possuem azulejos do século XVIII[1] e a capela-mor possui retábulo com tábuas pintadas atribuídas à oficina de Gregório Lopes.[2] Um aspecto inusual da capela é a localização da casa de despacho, que ocupa o andar sobre a nave da igreja.[2]

O portal está classificado como Monumento Nacional desde 1910, enquanto que a Capela é um Imóvel de Interesse Público.[1]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Capela de Nossa Senhora dos Remédios (Lisboa)
  • ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, Vol. 10, Lisboa, 1939;
  • ALMEIDA, D. Fernando de, (dir.), Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, Lisboa,Tomo I, Lisboa, 1973;
  • ALMEIDA, José António Ferreira de, (dir.), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976;
  • HAUPT, Albrecht, A Arquitectura do Renascimento em Portugal, Lisboa, 1986;
  • CALADO, Maria, FERREIRA, Vitor Matias, Lisboa. Freguesia de Santo Estevão (Alfama), Lisboa, 1992;
  • REIS, Maria de Fátima, Resistências e Sentidos do Culto do Espírito Santo em Lisboa, na Época Moderna, in Em Nome do Espírito Santo, História de um Culto, Lisboa, 2004, pp. 61–67.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]