Caramboxina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Fruta carambola.

Caramboxina é uma substância tóxica encontrada no fruto averrhoa carambola (carambola), muito comum no Brasil.

Toxina[editar | editar código-fonte]

A caramboxina pode levar ao óbito pacientes que sofrem de insuficiência renal crônica. A toxina da carambola foi testada em animais de laboratório, os quais apresentaram sintomas como: soluço, vômitos, confusão mental, agitação psicomotora, coma, convulsões e até mesmo morte. Tais sintomas já tinham sido observados em pacientes diabéticos ou que sofriam de insuficiência renal após a ingestão do suco concentrado da fruta.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, que fizeram os testes, alertam que mesmo pessoas que não tenham problemas renais devem evitar o consumo em excesso da carambola porque o teor de ácido oxálico pode produzir cálculos renais em pessoas mais sensíveis. Com isso, o problema renal se instalaria e, posteriormente a caramboxina teria um efeito bem mais grave, podendo levar o paciente à morte.[1][2][3][4][5]

Referências