Catedral de Zvartnots

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Catedral e Igrejas de Echmiatsin e Sítio Arqueológico de Zvartnots *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Zvartnots img 6965.jpg
Ruínas de Zvartnots
País  Arménia
Tipo Cultural
Critérios ii, iii
Referência 1011
Região** Ásia e Oceania
Coordenadas 40° 9′ N 44° 19′ E
Histórico de inscrição
Inscrição 2000  (24ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

A Catedral de Zvartnots (em armênio, Զվարթնոց, ou anjos celestiais) é uma catedral circular em ruínas, do Século VII localizado a cerca de 15 quilômetros a oeste de Erevã, no limite da cidade de Echmiatsin, na província de Armavir.

História[editar | editar código-fonte]

O plano da catedral, como no desenho de Toros Toramanian.

Zvartnots foi construída em uma época em que grande parte da Armênia encontrava-se sob controle do Império Bizantino e durante o início das Conquistas Árabes da Armênia. A construção da catedral dedicada a São Gregório começou em 642 sob supervisão do católico Nerses III, no lugar onde se supõe que tenha sido o encontro do rei Tirídates III e Gregório, o Iluminado. Segundo o historiador armênio medieval Movsés Kaghankatvatsi, a catedral foi consagrada em 653.[1] De 653 a 659, Nerses estava em Taiq e a construção da catedral continuou sob supervisão de Anastás Akarratsi. Devido à ocupação árabe de Dvin e as guerras cada vez mais intensas entre os exércitos bizantinos e os árabes nas fronteiras orientais, Nersés transferiu o palácio dos católicos de Dvin para Zvartnots.[2]

Zvartnots permaneceu em pé até o fim do Século X; depois, as fontes históricas se calam a respeito de sua queda.[1] Uma imitação próxima à catedral foi levada a cabo por Tirídates, o Arquiteto sob reinado de Cacício I durante a década final do Século X. O historiador contemporâneo armênio Estêvão de Taron referiu-se a Zvartnots quando descreveu a igreja que Cacício I havia inaugurado como «uma grande estrutura em Vagarsapate (Vałaršapat), dedicada ao mesmos anto, que havia ficado em ruínas».[3]

Escavações[editar | editar código-fonte]

Zvartnots permaneceu enterrada até que seus restos foram descobertos em princípios do Século XX. O lugar foi escavado entre 1901 e 1907 sob a direção do vardapet Khachik Dadyán, descobrindo as fundações da catedral assim como os restos do palácio dos católicos e uma adega. As escavações revelaram que Zvartnots se erguia sob os restos de estruturas que remontam ao reinado de Urartu Russa II.[1]

UNESCO[editar | editar código-fonte]

A UNESCO inscreveu a Catedral e Igrejas de Echmiatsin e o Sítio Arqueológico de Zvartnots como Patrimônio Mundial por "ilustrarem graficamente a evolução e desenvolvimento da igreja com hall em cruza e domo central típico da Armênia, que exerceu uma profunda influência no desenvolvimento arquitetônico e artístico da região"[4]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Armenio: Stepanyan, A. y H. Sargsyan. «Զվարթնոց» (Zvartnots). Soviet Armenian Encyclopedia. vol. iii. Yerevan, Armenian SSR: Academia Armênia de Ciências, 1977, pp. 707-710.
  2. Maranci, Christina. «Byzantium through Armenian Eyes: Cultural Appropriation and the Church of Zuart'noc'». Gesta, vol. 40, No. 2. (2001), p. 109.
  3. Maranci. «Byzantium through Armenian Eyes», p. 118.
  4. Cathedral and Churches of Echmiatsin and the Archaeological Site of Zvartnots. UNESCO World Heritage Centre - World Heritage List (whc.unesco.org). Em inglês ; em francês ; em espanhol. Páginas visitadas em 18/07/2014.
  • Gombos, Károly. Armenia: Landscape and Architecture. New York: International Publications Service (ed.), 1974. ISBN 963-13-4605-6
  • Maranci, Christina. Medieval Armenian Architecture: Constructions of Race and Nation. Louvain: Peeters Publishers (ed.), 2001. ISBN 90-429-0939-0

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Catedral de Zvartnots