Cervejaria Feldmann

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Cervejaria Feldmann foi uma cervejaria brasileira estabelecida em Blumenau.[1] É a primeira cervejaria no Brasil a criar receita, produzir e comercializar uma cerveja tipo Bock.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada pelo alemão Heinrich Feldmann em 1898, no bairro da Vila Itoupava, nos primeiros anos produzia de forma artesanal e em pequena escala. Feldmann, para fabricar a cerveja, utilizou uma receita que tinha trazido da Alemanha. Com o passar dos tempos, a procura dessa cerveja aumentou consideravelmente o que deu origem à necessidade de alterar os métodos de fabrico, pois a quantidade produzida artesanalmente já não era suficiente para satisfazer a procura da parte de comerciantes e sociedades da região da Vila Itoupava e arredores. Dentre as marcas fabricadas pela cervejaria Feldmann, as de maior procura foram a Cerveja Victoria e Cerveja Bock.

Com o falecimento de Heinrich Feldmann em 1930 seu filho Heinrich Feldmann Junior ao herdar a cervejaria, alterou o seu nome comercial para Kranapel. Feldmann Junior aos reestruturar a cervejaria introduziu também a produção e comercialização de licores.

Cerca de uma década após o falecimento de Heinrich Feldmann, mais propriamente no ano de 1941, Claus Feldmann adquiriu a fábrica, dando assim continuidade à tradição familiar no ramo cervejeiro. Em expansão, adquiriu as fábricas de cerveja malta e massarandubense. A produção da cervejaria Feldmann, chegou por essa altura a ser de 2500 garrafas semanais.

O fim da Cervejaria Feldmann na verdadeira acepção da palavra cervejaria, deu-se em 1954, altura em que foi produzido o seu último lote de garrafas de cerveja.

Em 1905 os cervejeiros estabelecidos no município, decidem fixar um mesmo preço para a garrafa de cerveja que passa a ser vendida por Rs$ 240 (duzentos e quarenta réis)."[2]

Com a compra da Cervejaria em 1960 por Alfred, filho de Claus, reabriram-se as portas para a produção de licores, refrescos e bitters, deixando de lado a produção de cerveja. Em 1978 encerra as atividades devido ao continuo crescimento da concorrência.

Centro Cultural da Vila Itoupava[editar | editar código-fonte]

Por muitos anos o prédio da cervejaria com todo a sua maquinaria para a produção de cerveja esteve inativo e abandonado, mas com a iniciativa da Fundação Cultural de Blumenau, uma parceria público-privada restaurou, ampliou e revitalizou a edificação, para a instalação e criação do Centro Cultural da Vila Itoupava, proporcionando à comunidade da região uma área de educação cultural, ambiental e patrimonial. O acervo do Centro Cultural[3] é constituído por maquinários, material diversificado da antiga cervejaria e também de utensílios que foram doados e que faziam parte da vida quotidiana dos agricultores que viveram e vivem na região de Blumenau.

Referências

  1. cidadeplural.com.br/ (9 de março de 2016). «Muito antes da Eisenbahn – A história das cervejarias de Blumenau». Consultado em 5 de setembro de 2018. Cópia arquivada em 5 de setembro de 2018 
  2. Ap Turismo. «Dicas de Viagem». Consultado em 5 de abril de 2010. Cópia arquivada em 11 de agosto de 2013 
  3. Jornal da Orla (17 de agosto de 2008). «Uma volta pelas cervejarias de Blumenau». Consultado em 5 de abril de 2010. Cópia arquivada em 31 de Dezembro de 2012