Citoquímica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2014)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

As técnicas citoquímicas consistem num corte de tecido (pela rotina histológica) aderido a uma lâmina na qual se irá incubar diferentes reagentes (corantes e não corantes).

Citoquímica é o estudo da composição química celular e dos processos biológicos a nível molecular que se desenrolam no interior das células ainda que também se inclua aqui a área de histoquímica (coloração em tecidos) uma vez que os tecidos são constituídos por células. A citoquímica dedica-se ainda à identificação e localização dos compostos químicos e macromoléculas nas células. Esse estudo só é possível usando diferentes reagentes que, ao reagirem com as estruturas do tecido, permitem identificar as substâncias/estruturas em estudo bem como a sua localização.

Controlos e contrastante[editar | editar código-fonte]

Para se realizar a técnica e esta ser válida há a necessidade de incluir um controlo positivo - um corte em que previamente sabemos existir a substância/estrutura a detetar e que por isso o resultado deve ser positivo. O controlo negativo é utilizado em apenas algumas técnicas e consiste num corte de tecido onde não existe a substância/estrutura ou esta foi retirada por processos químicos/físicos e que irá demonstrar se existe coloração inespecíficas, ou seja, estruturas que não devem corar por uma técnica, coram.

Normalmente, aquando da coloração é também incubado o corte com um contrastante, um corante de uma cor totalmente diferente da da estrutura/substância e que permite uma localização histológica da mesma no tecido.

Técnicas[editar | editar código-fonte]

Há diversas tipos de técnicas, sendo uma delas a impregnação argêntica que apesar de não se tratar de uma coloração mas sim uma deposição de pigmentos ao redor da substância/estrutura a detetar é incluída nas técnicas de coloração. Nesta técnica é utilizado o fator da deposição da prata metálica que depois é substituída por cloreto de ouro para que a coloração possa permanecer igual mesmo quando exposta à luz (exemplo : metanamina prata).
Uma técnica cuja deteção não é feita pela coloração da substância mas sim da falta da mesma é o PAS, em que é utilizado dois cortes em que um é feita a incubação com diastase que irá digerir o glicogénio e retirá-lo do corte. Assim, sabendo que o o glicogénio é corado com rosa (como o restante corte) quando no corte tratado com diastase há espaços brancos, estes são atribuídos ao glicogénio.

São diversas as técnicas existentes como:

Técnica O que deteta? Controlo positivo Cores da coloração
Giemsa Células hematopoiéticas Medula óssea e baço Núcleos - azul; granulações acidófilas - rosa; granulações basófilas - azul
Reticulina Fibras reticulares Tecido hepático Fibras de reticulina - preto; núcleos - vermelho
Orceína Fibras elásticas Tecido pulmonar, artérias de grande calibre Fibras elásticas - castanho escuro; núcleos - azul; fibras de colagénio e restantes estruturas - incolores
Tricómio de Masson Fibras de colagénio Útero, apêndice fibras - azul; núcleos - azul/preto; músculo, citoplasma, eritrócitos e queratina - vermelho; grânulo argirófilos - preto ou vermelho
Metanamina Prata Membrana Basal Rim membranas basais - preto; fundo - verde ou vermelho
PAS com e sem diastase Glicogénio Fígado núcleos - azul; mucinas neutras e algumas mucinas ácidas - magenta; membrana basal - magenta; parede de fungos - magenta; glicogénio - magenta no sem diastase e incolor no com diastase
Azul de Alcian pH=1 Mucinas ácidas sulfatadas Intestino delgado mucinas ácidas sulfatadas - azul pálido; núcleos - rosa avermelhado
PAS com Azul de Alcian Mucinas ácidas e neutras Rim Mucinas ácidas - azul; mucinas neutras - magenta; mistura de mucinas ácidas e neutras - púrpura; núcleos - azul pálido
Vermelho de congo Amilóide Tecido com amilóide (é uma substância - parte de patologia) núcleos - azuis; amilóide - vermelho (com o polarizador é verde birrefringente - amarelo)
Oil Red Lípidos neutros Qualquer um (todos os tecidos contêm lípidos Lípidos - vermelho; núcleos - azul
Perl's Pigmentos férricos Pulmão ou fígado com patologia pigmento férrico - azul de prússia; citoplasma (fundo) - rosa avermelhado
Halls Pigmentos biliares Fígado ou vesícula biliar bilirrubina (pigmento biliar) - verde esmeralda; colagénio - vermelho; citoplasma (fundo) - amarelo
Zhieh-Neelson Micobactéria AAR Tecido infectado pelo M.Tuberculosis micobactérias - rosa avermelhado; componentes acidófilos (fundo) - verde
Giemsa modificado Helicobacter pylori Tecido gástrico infectado Microorganismos tipo Helicobacter pylori - azul escuro; fundo - vários tons de azul
LEDER Atividade da cloroacetato esterase Medula óssea e apêndice com inflamação aguda atividade enzimática das células mielóides - vermelho brilhante; monócitos e linfócitos - ausente/intensidade fraca; núcleos - azul
Luxol Fast Blue Mielina Cérebro, medula espinhal ou nervo periférico mielina - azul turquesa; células nervosas - púrpura; neutrófilos - rosa

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bancroft - Theory and Practice of Histological Techniques