Cluster

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Um cluster consiste em computadores vagamente ou fortemente ligados que trabalham em conjunto para que, em muitos aspectos, eles possam ser vistos como um único sistema. Ao contrário da computação em grade, um cluster tem, para executar a mesma tarefa, cada conjunto de nós controlado e programado por software.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A ideia inicial que conduz ao cluster foi desenvolvida na década de 1960 pela IBM como uma forma de interligar grandes mainframes, visando obter uma solução comercialmente viável de paralelismo. Nesta época o sistema HASP (Houston Automated Spooling Program) da IBM e seu sucessor o JES (Job Entry System) proviam uma maneira de distribuir tarefas nos mainframes interligados. A IBM ainda hoje (2001) suporta o cluster de mainframes através do Parallel Sysplex System, que permite ao hardware, sistema operacional, middleware e software de gerenciamento do sistema prover uma melhora dramática na performance e custo ao permitir que usuários de grandes mainframes continuem utilizando suas aplicações existentes.

Entretanto, o cluster ganhou força até que três tendências convergiram nos anos 1980: microprocessadores de alta performance, redes de alta velocidade, e ferramentas padronizadas para computação distribuída de alto desempenho. Uma quarta tendência possível é a crescente necessidade de poder de processamento para aplicações científicas e comerciais unida ao alto custo e a baixa acessibilidade dos tradicionais supercomputadores.

No final de 1993, Donald Becker e Thomas Sterling iniciaram um esboço de um sistema de processamento distribuído construído a partir de hardware convencional como uma medida de combate aos custos dos supercomputadores. No início de 1994, trabalhando no CESDIS, com o patrocínio do projecto HTPCC/ESS, criaram o primeiro cluster desse tipo, o projecto Beowulf.

O protótipo inicial era um cluster de 16 processadores DX4 ligados por dois canais Ethernet acoplados (Ethernet bonding). A máquina foi um sucesso instantâneo e esta ideia rapidamente se espalhou pelos meios académicos, pela NASA e por outras comunidades de pesquisa.

Tipos de cluster[editar | editar código-fonte]

Existem vários tipos de cluster, no entanto há alguns que são mais conhecidos, como:

  • cluster de alto desempenho: também conhecido como cluster de alta performance, ele funciona permitindo que ocorra uma grande carga de processamento com um volume alto de gigaflops em computadores comuns e utilizando sistema operacional gratuito, o que diminui seu custo;
  • cluster de alta disponibilidade: são clusters cujos sistemas conseguem permanecer ativos por um longo período de tempo e em plena condição de uso; sendo assim, podemos dizer que eles nunca param seu funcionamento; além disso, conseguem detectar erros se protegendo de possíveis falhas;
  • cluster para balanceamento de carga: esse tipo de cluster tem como função controlar a distribuição equilibrada do processamento. Requer um monitoramento constante na sua comunicação e em seus mecanismos de redundância, pois se ocorrer alguma falha, haverá uma interrupção no seu funcionamento.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e Referências

  1. «Building a Beowulf Cluster in just 13 steps». linux.com (em inglês). Consultado em 18/11/2015. 
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este artigo:
Wikibooks-logo.svg Textos didáticos no Wikilivros
Wikiversity-logo-en.svg de Informação Distribuídos Cursos na Wikiversidade

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Cluster