Cronozona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma cronozona ou cron é um intervalo de tempo que tem início com um dado evento identificável terminando com um outro evento. No registo fóssil tais eventos identificáveis estão geralmente associados à desaparição (extinção) de uma espécie com ampla distribuição ou à aparição de uma tal espécie no registo geológico. As cronozonas ou crons são sobretudo usadas nas várias disciplinas relacionadas com a geologia, notavelmente na estratigrafia em que é utilizada a datação relativa.

Existem também acontecimentos susceptíveis de identificação e análies pelas ciências físicas, como inversões do campo magnético terrestre ou a localização de uma combinação de evidências químicas numa camada correspondendo à colisão de um meteoro que se crê ter causado a extinção dos dinossauros. Assim, as cronozonas, bem como a identificação e aceitação internacionais de uma cronozona com dispersão geográfica significativa como um marcador de tempo útil no registo geológico, é não-hierarquizada, pois as cronozonas não têm que corresponder a limites geográficos ou geológicos nem ser iguais em extensão (apesar de uma restrição anterior segundo a qual uma cronozona era definida como sendo menor que uma idade geológica[1]) Geralmente, uma cronozona é definida em termos geológicos e para uma área geográfica pelos nomes de fósseis (biozona ou biocronozona) ou em termos globais por identificadores de inversão geomagnética (cronozona de polaridade).

Segundo a ICS, cronozona é o termo usado para referir-se às rochas formadas no período de tempo em questão, enquanto a palavra cron refere-se ao período de tempo propriamente dito.[2] O factor-chave para designar uma cronozona internacionalmente aceite é a clareza, definição e dispersão geográfica da coluna fóssil. Assim, algumas cronozonas aceites contêm outras, e certas cronozonas maiores foram designadas abrangendo unidades de tempo geológico completas, tanto grandes como pequenas.

Referências

  1. An early use in Harland, W.B., Armstrong, R.L., Cox, A.V., Craig, L.E., Smith, A.G., and Smith, D.G. (1989) A Geologic Time Scale Cambridge Univ. Press, Cambridge, ser hierárquica pois cronozona era o período de tempo menor que o estágio faunístico usado em bioestratigrafia. Este uso foi revogado pela ICS
  2. «Magnetostratigraphic polarity units». International Commission on Stratigraphy. Stratigraphy.org. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Ciência (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.