Cruzamento cromossómico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
Ilustração do cruzamento cromossómico da autoria de Thomas Hunt Morgan (1916)
Duplo cruzamento cromossómico.
A recombinação implica a quebra e nova ligação dos cromossomas anfitriões.

Cruzamento cromosómico (ou crossing-over) é uma troca de material genético entre cromossomas homólogos. É uma das fases finais da recombinação genética, que ocorre durante a prófase I da meiose durante um processo designado por sinapse. A sinapse tem início antes da formação do complexo sinaptonémico, e só é completada já próximo do fim da prófase I. O cruzamento ocorre normalmente quando regiões emparelhadas de cromossomas igualmente emparelhados se rompem, e depois se voltam a ligar ao outro cromossoma.

A teoria do cruzamento cromossómico foi proposta por Thomas Hunt Morgan, com base na descoberta de Frans Alfons Janssens que descreveu o fenómeno em 1909, designando-o por "quiasmatopia". O termo quiasma está intimamente liado ao cruzamento cromossómico. Morgan apercebeu-se da importância imensa da interpretação citológica do quiasma de Janssens para a sua própria pesquisa sobre a hereditariedade da Drosophila sp.. Os fundamentos físicos do cruzamento cromossómico foram demonstrados pela primeira vez por Harriet Creighton e Barbara McClintock em 1931.1

Referências

  1. Creighton H, McClintock B. (1931). "A Correlation of Cytological and Genetical Crossing-Over in Zea Mays". Proc Natl Acad Sci USA 17 (8): 492–7. DOI:10.1073/pnas.17.8.492. PMID 16587654. (Original paper)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Genética é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.