Dagalaifo (cônsul em 366)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras pessoas de mesmo nome, veja Dagalaifo.
Dagalaifo
Nacionalidade
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Império Romano
Ocupação General
Religião Paganismo

Dagalaifo (fl. 361-366) foi um general romano do século IV que alcançou o consulado em 366.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Soldo de Juliano, o Apóstata (r. 361–363)
Fólis de Valentiniano I (r. 364–375)

Dagalaifo era um gótico pagão. Em 361, foi nomeado conde dos domésticos por Juliano, o Apóstata (r. 361–363) e enviado para prender o general Luciliano, fiel a Constâncio II (r. 337–361), o primo do imperador, na cidade de Sirmio. Em 363, participou da campanha sassânida de Juliano. Junto com Vitor comandou a retaguarda de Juliano durante a marcha em direção a Ctesifonte, a capital sassânida. Quando os romanos viram-se diante do reduto persa de Maiozamalca, Nevita e Dagalaifo foram responsáveis pela construção dum túnel sob os muros que lhes permitisse tomar a cidade.[1]

A expedição terminou tragicamente com a morte de Juliano; um conselho de generais se reuniu para decidir o sucessor de Juliano: Dagalaifo e o mestre da cavalaria (magister equitum) de origem germânica Nevita representavam o componente gaulês e pagão do exército, leal a Juliano, enquanto Vitor e Arinteu representou o componente cristão leal a Constâncio II; os primeiros apoiaram a eleição de um soldado do exército da Gália, os segundos queriam eleger um dos seus. O conselhou saldou o imperador cristão Joviano (r. 363–364) que, em seguida, nomeou Dagalaifo mestre da cavalaria.[1]

Depois da morte de Joviano (364), Dagalaifo apoiou a eleição de seu sucessor, Valentiniano I (r. 364–375). Quando Valentiniano, em seguida, cedeu às exigências do seu conselho de guerra para indicar um colega, Dagalaifo interveio para sugerir a eleição do irmão do imperador, Valente (r. 364–378). Dagalaifo, como mestre da infantaria (magister peditum), combateu em 365/366 na Gália os alamanos; em 366 cedeu seu posto a Severo e recebeu a honra consular, juntamente com o filho de Valentiniano, o jovem Graciano.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
'Valentiniano I

com Valente I

Dagalaifo
366

com Graciano

Sucedido por:
'Lupicino

com Jovino


Referências

  1. a b c Martindale 1971, p. 239.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Martindale, J. R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1971). The prosopography of the later Roman Empire - Vol. I AD 260-395. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press