Dança clássica indiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A história nos conta que a origem da dança clássica indiana se deu juntamente com o surgimento do teatro clássico indiano através de uma escritura chamada Natya Shastra.[1] Natya é a junção de drama (atuação), música e dança; Shastra quer dizer "escritura". É dito que o Natya Shastra foi composto pelo próprio deus Brahma, o senhor da criação, e que, para sua composição, foram extraídos textos dos quatro Vedas. Por tal motivo, o Natya Shastra também é chamado de Natya Veda, já que, para confeccionar o Natya Shastra, Brahma incorporou todas as artes e ciências que havia nos Vedas. Do Sama Veda, ele retirou a música; do Rig Veda, a poesia e a prosa; do Yajur Veda, o gestual e a maquiagem; e, finalmente, do Atharva Veda, a representação dramática.

Originalmente, a dança era apresentada dentro dos templos em uma sala especialmente construída e chamada de Natyamandapa. Era executada por mulheres chamadas de Devadasis. Deva significa Deus e dasi, serva: portanto, a dança era considerada uma oferenda aos deuses, assim como a comida, as flores etc.[2]

A posição vrscikakuttitam karana executada por uma dançarina da escola de dança Sri Devi Nrithyalaya

A técnica da Dança Indiana[editar | editar código-fonte]

A dança clássica indiana é dividida em Nritta (dança pura ou abstrata) e Nrittya (dança expressiva):[3]

  • Nritta é composta de movimentos baseados no ritmo e na música e não possui significado, tendo um caráter puramente decorativo e abstrato. Os itens de dança pura, como são chamados, possuem complicados padrões rítmicos e diferentes medidas de tempo nos ciclos métricos. Em Nritta, a ênfase é nos movimentos puros de dança, criando padrões no espaço e no tempo sem nenhuma intenção especifica de projetar qualquer emoção. Os movimentos são criados pelas várias partes do corpo para produzir beleza estética. A unidade básica da dança é chamada de Adavu, que quer dizer "combinação", e, no caso da dança pura, combina passos e gestos chamados de Nritta Hastas.
  • Nrittya é composto de Hastas e Abhinaya, que são usados para contar histórias através da expressão das mãos, do rosto e do corpo. A palavra hastas quer dizer "mão" e os principais hastas (ou mudras) usados em Nrittya são os Asamyukta (simples) e os Samyukta (compostos). Abhinaya é uma síntese de vários aspectos do processo dramático. Normalmente, esta palavra é traduzida como "atuar" ou "educar". Há quatro tipos de Abhinaya citados nas escrituras: Angika, Vacika, Aharya e Satvika. Angika se refere às expressões do corpo; Vacika, à fala ou canto; Aharya, à caracterização; e Satvika se refere ao comportamento das personagens, a expressão da graciosidade e a emoção propriamente dita. Rasa e Bhava são os principais componentes de Abhinaya. Rasa quer dizer "sabor" e Bhava, "sentimento" ou "emoção". As principais expressões do rosto são chamadas de Nava Rasas e são compostas de: Sringaram (amor), Veeram (heroísmo), Karuna (tristeza ou compaixão), Adbhuta (maravilhamento), Raudram (ira), Hasya (humor ou comedia), Bhayanaka (medo ou pavor), Bibhatsa (nojo) e Shanta (paz).

Os estilos de Dança Clássica Indiana[editar | editar código-fonte]

Atualmente, existem oito estilos considerados clássicos na Índia:

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Dança clássica indiana

Referências

  1. Dança clássica indiana. Disponível em http://www.dancaindiana.com.br/danca-indiana/. Acesso em 29 de maio de 2014.
  2. História do mundo. Disponível em http://www.historiadomundo.com.br/indiana/danca-classicas-indianas.htm. Acesso em 29 de maio de 2014.
  3. Dança clássica indiana. Disponível em http://www.dancaindiana.com.br/danca-indiana/. Acesso em 29 de maio de 2014.
  4. Infoescola: navegando e aprendendo. Disponível em http://www.infoescola.com/danca/indiana2/. Acesso em 29 de maio de 2014.