Diaporthales

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaDiaporthales
Sintomas foliares da infecção por Apiognomonia errabunda.
Sintomas foliares da infecção por Apiognomonia errabunda.
Classificação científica
Reino: Fungi
Divisão: Ascomycota
Classe: Sordariomycetes
Subclasse: Sordariomycetidae
Ordem: Diaporthales
Nannf. (1932)
Famílias

Diaporthales Nannf. (1932) é uma ordem de fungos ascomicetas que inclui diversas espécies patogénicas para plantas.

Descrição[editar | editar código-fonte]

A ordem Diaporthales inclui um conjunto de fungos fitopatogénicos, o mais conhecido dos quais é Cryphonectria parasitica (Murril) Barr, uma praga que ataca o castanheiro e que devastou as florestas do leste da América do Norte. Outras doenças causadas por membros desta ordem incluem o cancro da haste da soja (Diaporthe phaseolorum (Cooke & Ellis) Sacc. e as suas variedades), a lágrima-da-laranjeira (Diaporthe citri FA Wolf) e o cancro do pessegueiro (Phomopsis amygdali Del.).

Algumas espécies produzem metabolitos secundários que resultam em toxicose de animais, como a lupinose das ovelhas (causada por Diaporthe toxica PM Will.). Uma conjunto de fungos fitopatogénicos que se reproduzem assexuadamente também pertencem à ordem Diaporthales, entre os quais Greeneria uvicola (Berk. & Curt.) Punith., causador da podridão amarga da uva, e Discula destructiva Redlin, causadora de uma forma de antracnose que ataca diversas essências florestais. Ambas estas espécies são fungos mitóticos sem qualquer estado sexual (teleomorfo) conhecido.

Géneros em incertae sedis[editar | editar código-fonte]

Os seguintes géneros de Diaporthales têm um enquadramento taxonómico incerto (estão em incertae sedis). Um sinal de interrogação antes do nome do género indica que há incerteza na sua integração na ordem Diaporthales. São os seguintes os géneros em incertae sedis:[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Lumbsch TH, Huhndorf SM. (2007). «Outline of Ascomycota – 2007». The Field Museum, Department of Botany, Chicago, USA. Myconet. 13: 1–58 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]