Discussão:Idi Amin

    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    O retorno dos boatos e mitos...[editar código-fonte]

    Nesta nova versão do artigo vários mitos e coisas mal explicadas voltaram à tona.

    O primeiro erro que identifico é no trecho "quando ele soube que o presidente Milton Obote estava planejando prende-lo por desviar fundos do exército". Eu nunca li nenhuma fonte que confirmasse casos de corrupção de Amin com fundos do exército. Ao que tudo indica, era somente um motivo para prendê-lo (como aconteceu com Charles Taylor), mas o artigo afirma claramente que ele era corrupto.

    Um trecho afirma que o governo de Amin foi caracterizado por "constantes abusos de direitos humanos, incluindo repressão política, perseguição étnica e execuções extrajudiciais, além de nepotismo, corrupção e má gestão econômica." Mas pelo que eu saiba nunca houve nepotismo e corrupção generalizadas para "caracterizarem" o governo de Amin, e, além disso, a economia de Uganda nessa época na verdade parecia estar totalmente normal, dentro, é claro, dos limites da guerra económica que acontecia. Em seguida, o trecho do livro Uganda: A Modern History, que aponta que entre 12 e 30 mil pessoas foram mortas em Uganda (estimativa sustentada com argumentos sérios e imparciais) foi pura e simplesmente removida, restando o exagero de que "100 a 500 mil pessoas foram mortas", fontes estas criadas justamente por oponentes de Amin (carecem de neutralidade).[1] Nota-se que eu, quando adicionei informações de que apenas 12 ou 30 mil pessoas foram mortas, não removi as outras estimativas.

    A seção "Comportamento errático, títulos autoconcedidos e representação na mídia" carece de fontes, neutralidade e explicações. A maioria destes "títulos" de Amin vieram de discursos feitos de maneira simbólica, e eu nunca vi sequer um documento do governo de Uganda que citasse o tal "título oficial de Amin" se não uma única citação através da Rádio Uganda, a qual nem temos gravação para sabermos se foi em tom jocoso, por exemplo. A propósito, o "sabia que..." sobre Amin nunca deveria ter ido ao ar na página principal, já que carece de fontes.[nota 1] Como já se mostrou várias vezes, Idi Amin nunca foi canibal, sendo este um mito inventado para difamá-lo. O artigo afirma que havia uma crença generalizada da antropofagia cometida por Amin, mas, sendo assim, porque o futebolista Pelé visitou pessoalmente "um canibal" sem aparentemente ninguém lhe avisar?

    É triste que o que era dantes um artigo único e verdadeiramente imparcial entre todas as wikipédias, agora esteja exatamente igual a todas as outras: cheias de mitos, boatos e eurocentrismo. --ARMS 2003 (discussão) 19h14min de 1 de agosto de 2021 (UTC)Responder[responder]

    Notas

    1. Se Idi Amin declarou-se oficialmente Rei da Escócia, onde está o registro documental que prova tal afirmação?.
    1. "Another estimate, compiled by exile organisations with the help of Amnesty International, put the number killed at 500,000." https://www.theguardian.com/news/2003/aug/18/guardianobituaries