Discussão:Masculinismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Partes relevantes e com fontes foram removidas sem justificativa pela ultima editora, que também havia tornado o conteúdo contendo críticas e descrições negativas ao movimento maior do que o de textos neutros ou positivos em relação ao movimento (onde mesmo após parte do conteúdo apagado ter sido restabelecido, o texto ainda permaneceu parcial em relação ao movimento), justificando a marcação de parcialidade. --Skeptikós (discussão) 22h37min de 4 de janeiro de 2017 (UTC)

Olá, o texto atual é traduzido da Wiki em inglês, não parece existir nenhuma personalidade, estudioso ou acadêmico lusófono como existe nos EUA, Austrália etc para ser citado no artigo. A Wikipédia não é lugar para apologia, do jeito que estava era só um monte de choro confirmado com fontes de Veja e G1, o artigo é para ensinar sobre Masculinismo e não pregar. ― Diana m 16h46min de 10 de janeiro de 2017 (UTC)
Lendo o artigo em inglês, há um ou outro masculinista que é anti-feminista (que compara os "benefícios" e atribui todas as desgraças da vida do homem à mulher) mas isso NÃO é o dominante do tal movimento. Vou adicionar a parte das reivindicações como está na Wiki em inglês, a versão anterior é só um monte de "a mulher tem isso e o homem não" (chororô).― Diana m 16h53min de 10 de janeiro de 2017 (UTC)
Discordo que os masculinistas anti-feministas defendam que os problemas masculinos sejam culpa das mulheres. Pelo que sei, eles indicam como causa de alguns destes problema a influência de políticas públicas e/ou costumes ou hábitos influenciados pelo feminismo e/ou por uma cultura ginocentrica, o que é responsabilizar um movimento sócio-politico e/ou uma cultura específicos, e não o gênero feminino ou as mulheres em si. Acho que algumas mudanças ainda devem ser feitas, como o acréscimo de mais reivindicações e argumentos pró-masculinistas, irei realizar posteriormente uma pesquisa e tentar melhorar o artigo neste quesito. Skeptikós (discussão) 00h59min de 12 de janeiro de 2017 (UTC)
"Cultura ginocentrica", perdi o ânimo em continuar essa discussão com você, não tenho estômago pra isso mas vou ficar de olho nesse artigo para não virar um amontoado de choro/apologia como estava antes. O artigo precisa de info com fontes que tratam sobre o masculinismo e não fonte de Veja, G1 etc pra provar ponto de vista. São poucos os acadêmicos a serem citados e não existem acadêmicos lusófonos pelo que pesquisei. ― Diana m 01h12min de 12 de janeiro de 2017 (UTC)
Alguns masculinistas acreditam que o ocidente vive em uma cultura ginocêntrica, assim como muitas correntes e militantes do movimento feministas acreditam na teoria oposta, de que vivemos em uma cultura androcêntrica. Não quer dizer que estejam com a razão e muito menos que eu concorde com isso, mas é a opinião de alguns dos membros destes movimentos. Sobre a pesquisa que eu disse que realizaria, encontrei material relevante e já o adicionei ao artigo. Continuarei com as pesquisas e contribuições quando tiver mais tempo. --Skeptikós (discussão) 23h21min de 12 de janeiro de 2017 (UTC)
SIm, tem louco o suficiente pra acreditar em tudo. O trecho Saúde não está bom, o que acontece: primeira fonte é um Blogger arquivado que era de algum sujeito que mantinha um blog masculinista, quem era o cara? isso não serve de fonte. O restante está usando fontes brasileiras que não falam de masculinismo, precisa ser info sobre masculinismo falando sobre saúde.― Diana m 23h25min de 12 de janeiro de 2017 (UTC)
Tá difícil esse artigo, encontrei uma definição no Orford Companion, dá uma lida depois. Não consigo achar fontes fiáveis nem para o antagonismo entre os movimentos (feminismo X masculismo), só blog de anônimo revoltado ou sei lá o que. Aparentemente não existiram muitos acadêmicos nem apoiadores notáveis do masculismo. O artigo sobre os direitos dos homens talvez fique melhor mas não deve sair de EUA/Europa. ― Diana m 23h59min de 12 de janeiro de 2017 (UTC)

───────────────────────── Encontrei um comentário de Warren Farrell que irá servir como fonte da primeira parte. As informações posteriores estão ali apenas como complemento e confirmação (por fontes independentes) da afirmação de Farrell, de que a atenção dada a saúde masculina é menor do que aquela dada a saúde da mulher. No entanto fiz algumas mudanças na parte que quero incluir, você pode verifica-la aqui e me dizer o que acha. --Skeptikós (discussão) 23h16min de 13 de janeiro de 2017 (UTC)

Está ok. Pelo visto só tem esse cara de mais expressivo do tal movimento mesmo, em geral está difícil dizer que há um movimento masculissta porque não há acadêmicos endossando. Achei essas duas notícias talvez dê pra acrescentar algo [1] e [2].― Diana m 23h39min de 13 de janeiro de 2017 (UTC)
Estou andando muito ocupado nos últimos dias, só tive tempo de adicionar a seção de saúde hoje. Quando tiver tempo darei uma olhada no conteúdo indicado por você e realizarei mais pesquisas. --Skeptikós (discussão) 16h49min de 16 de janeiro de 2017 (UTC)