Discussão:Navalha de Ockham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Untitled[editar código-fonte]

Retirei a frase "(também chamada de Razão de Occam; em inglês Occam's Razor)", pois "razor" significa "navalha", e não "razão". Mschlindwein msg 15:15, 30 Mai 2005 (UTC)

Marcelo: No entanto, o princípio é conhecido em matemático (método indutivo) como Navalha de Occam, Princípio de Occam, filosofia de Occam ou Razão de Occam, embora concorde que a tradução seria equivocada. O uso consagrou as expressões. Tanto que existe o artigo Razão de Occam (redirect). Campani discusssão 15:29, 30 Mai 2005 (UTC)
Campani, tudo bem. Mas como estava escrito, dava a entender (como eu e o anônimo acabamos entendendo) que "razão" era a tradução de "razor"... Mschlindwein msg 15:34, 30 Mai 2005 (UTC)
Também pode ser chamado de "Lei da Parcimônia" ou "Princípio da Parcimônia" ou também "Lei da Economia". Asha 15h20min de 12 de Outubro de 2007 (UTC)
Campani, Marcelo: Apesar de tradicionalmente assim ser, contesto o uso da palavra portuguesa "Navalha" neste contexto; deveria ser usada a palavra "Rasoura" ou, mesmo, "Plaina" como tradução da palavra inglesa "Razor", uma vez que o princípio se refere a uma ideia que pode ser explicada como "nivelamento". Aliás, concretamente e em Inglês, a palavra "Razor", neste caso, refere-se mesmo a um instrumento de marcenaria conhecido como "Rasoura" e nunca a uma lâmina ou navalha... o comentário precedente não foi assinado por 81.193.132.44 (discussão • contrib)
Até pode ser, mas o uso de "Navalha de Occam" já foi consagrado e uma possível melhor tradução já não é uma discussão da Wikipédia. Heiligenfeld disc 14h49min de 8 de fevereiro de 2012 (UTC)

Série sobre Ateísmo[editar código-fonte]

Porque esse artigo faz parte da série sobre ateísmo?--Raimundo57br (discussão) 13h49min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)

Porque pode ser aplicável dentro da filosofia da religião, mais específicamente à existência de Deus, a favor dos ateístas. Segundo esta linha de raciocínio, se o conceito de Deus não ajuda a explicar o universo de maneira eficaz, então o ateísmo é o melhor caminho (em outras palavras, se a existência de Deus não explica nada, então é melhor "passar a navalha em tudo"). Esta é uma das ligações da Navalha de Occam com o ateísmo, que justifica sua inclusão na série. Sds. Heiligenfeld disc 17h38min de 7 de fevereiro de 2012 (UTC)
Mas que explicação ridícula. Além de o próprio Ockham ser padre, portanto certamente acreditar em Deus, a navalha de Ockham pode ser usada inclusive na teologia, para tentar provar a existência de Deus. É um instrumento lógico que não fica restrito à ciência, mas pode ser usado em qualquer empreendimento da razão humana -- por mais que não se concorde com ele. Além disso, incluir na série sobre ateísmo dá ao leitor a impressão de que William de Ockham era, ele mesmo, ateu, o que é uma sacanagem com a figura histórica.o comentário precedente não foi assinado por Trasel (discussão • contrib)
Respeito sua opinião. Mas tem fontes consagradas que te corroboram? Heiligenfeld disc 18h39min de 30 de abril de 2012 (UTC)

Vim pesquisando algo completamente científico e encontrei uma propaganda! Por que uma propaganda? Porque trata-se da distribuição de uma ideia religiosa (no caso, anti-religiosa). Sempre que se tratar de uma distribuição de ideia política ou religiosa, é esse nome que se recebe. Caso haja uma venda, pode-se então chamar de comercial. Isso o que eu vi no CDC (Código de Defesa do Consumidor). Não acho que o wikipedia aceite tão abertamente esse tipo de vinculação! Seu conceito de que essa teoria podia ser usada para provar a não existência de Deus é falacioso. O método científico ou coisas do gênero não são usadas para estudar Deus, sendo assim não se prova a existência, nem se prova o contrário, permanecendo assim a imparcialidade. Espero estar sendo compreensível. Essa foi uma enorme tendência! Poderia ter usado a navalha de occam para explicar qualquer outro conceito, inclusive eu pesquisei esse tópico por causa de uma "moeda", num episódio da série "O mentalista". O que isso teria a ver com religião? Nada. Trata-se de uma espécie de método científico, que não prova, nem diz o contrário sobre a existência de Deus. Essa foi uma enorme tendência, não houve imparcialidade, e gostaria de alguém com consciência para avaliar isso aqui. comentário não assinado de 186.229.44.3 (discussão • contrib) (data/hora não informada)

Só para constar. O seu raciocínio lógico é tão falacioso, tão tendencioso. Que você não percebeu que pelo princípio da navalha de occan não se chega ao ateísmo. Pelo contrário. A resposta mais simples nisso seria que não sabemos se Deus existe ou não. Não temos como estudar, então não há o que considerar. Um lado pode estar certo tanto quanto o outro. O mais simples é admitir que não tem como dizer se Deus existe ou não. comentário não assinado de 186.229.44.3 (discussão • contrib) (data/hora não informada)

Eu não vejo propaganda nesta parte, o texto cita que ateus usam a Occam como argumento e não que isso está certo ou errado. Há várias fontes e a mais conhecida é o argumento de Dawkins em God Delusion. De novo não é papel da enciclopédia dizer se Dawkins está certo ou errado enquanto ela apenas disser que ele (como muitos outros ateus) usa este argumento. Eu entendo que é muito mais comum ateus recorrerem a Occam do que religiosos mas como não tenho uma fonte que corrobore essa impressão recomendo que você use outra abordagem também válida, mais parecida com a forma que você parece pensar E utilizada no mesmo trecho do artigo em inglês, onde há menções à utilização de Roccam também para defender a existência de deus. Talvez fosse o caso de você fazer uma tradução e sugeri-la aqui.Ramos1berto (discussão) 18h00min de 25 de fevereiro de 2013 (UTC)