Discussão:Oiti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Discordo do artigo que, tentando polarizar alguma discussão regional (do Recife), erra ao afirmar categoricamente que o oitizeiro não produz frutos. Os oitis existem (não sei se os de Recife foram inventados) e provo isso com fotos de uma Licania tomentosa em plena produção aqui em minha chácara em Birigui, noroeste do estado de São Paulo.

Oitis no pé.JPG

Não só os frutos existem como são citados em outras fontes da Internet [1].

Também não é verdade que o oitizeiro só se reproduz por mudas; existem estudos comprovando a germinação de sementes de oiti semeadas em composto produzido por lixo urbano na região de Novo Horizonte/SP ([2])

O fruto do oitizeiro é tido ainda como medicinal, de ação anti-diarréica e controlador de distúrbios menstruais ([3]).

Uma análise dos constituintes químicos desse fruto foi realizada pela Faculdade de Farmácia da UFMG ([4]).

Senhor editor, favor rever o conteúdo tendencioso e deseducador desse artigo. Que ao menos se retire as referências explícitas à inexistência dos oitis. Mais vale uma informação incompleta que uma afirmação errada.

Caro editor, sinta-se a vontade em corrigir o artigo. Abraços.--OS2Warp msg 23h55min de 11 de Fevereiro de 2008 (UTC)


De acordo com a referência bibliográfica dada no artigo, do livro Árvores Brasileiras de Harri Lorenzi, os Oitis (Licania tomentosa) produzem muitos frutos. Para quem está no Rio de Janeiro, em época propícia, claro, podem ser vistos pelo chão da Praça XV, no centro da cidade. Tomei a iniciativa de alterar as partes do texto que insinuavam dúvida quanto a existência dos frutos. Também retirei todo o parágrafo da "História" por sua inconsistência e por desvelar rixas regionais. Espero ter mantido o padrão de redação da Wikipedia, e, se não foi o caso, por favor, atualizem o estilo.