Domínio de Melchizedek

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
País fictício
Domínio de Melchizedek
Domínio de Melchizedek
BANDERA DE MELCHIZEDEK.png Official-Seal of the Dominion of Melchizedek.png
(Bandeira) (Brasão de armas)
Língua oficial   
Religião  
Capital
• Habitantes 
Governo
Eventos
Divisões  
Geografia  
Demografia  
• Gini
Economia  
Fuso horário
Código  
Site governohttps://www.melchizedek.com
Fontes: The World Factbook, FMI, ONU, UNICEF
Mapa do Atol de Bokak ou Atol de Taongi (Domínio de Melchizedek)

Domínio de Melchizedek (DoM) é uma micronação composta por diversas ilhas situadas no Oceano Pacífico e parte da Antártida, reconhecida como micronação pela República Centro-Africana, por Burkina Faso e por outras micronações, todas notoriamente corruptas.[1]

Segundo o advogado Horácio Bernardes Neto, conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo, o Domínio de Melchizedek se apresenta como um Estado pós-moderno de reconhecimento eclesiástico que teria sido criado para servir como paraíso fiscal.[2]

O Domínio de Melchizedek é utilizado, sobretudo, para o cometimento de diversos tipos de fraudes.

Segundo o Público, o Domínio de Melchizedek é um falso paraíso fiscal. Trata-se de uma ilha de um atol da Polinésia que fica submerso durante a maré alta. Segundo o Jornal de Alcobaça, o Domínio de Melchizedek é um atol da Polinésia, apenas visível na maré baixa, que não consta nos registos geográficos, mas que possui uma página na Internet (www.melchizedek.com).[3]

O Domínio de Melchizedek faz parte de uma rede internacional de operações financeiras, envolvendo entidades bancárias fictícias, através da qual foram enganados milhares de clientes.[4]

É, oficialmente, uma possessão do governo das Ilhas Marshall.

Domínio de Melchizedek ficou notório após artigos satíricos, escritos pela Desciclopédia, descreverem a localidade como suposto paraíso fiscal.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas e Referências

  1. Daniel Sibille (16 de outubro de 2012). «Série: Grandes Fraudes da História – Um país chamado "Domínio de Melchizedek"». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  2. «Advogado de país fictício quer ser desembargador». Consultor Jurídico. 18 de março de 2009. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  3. «Caso "Melchidezek" de volta ao tribunal». Região de Alcobaça. 18 de janeiro de 2006. Consultado em 23 de março de 2015 
  4. «Burla que vitimou irmão de Cavaco Silva regressa hoje a tribunal». Público. 14 de novembro de 2005. Consultado em 22 de março de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre micronacionalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.