Eiríkur Hróaldsson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Eiríkur Hróaldsson (n. 881) foi um caudilho víquingue e gódi de Skagafjörður na Islândia.[1] Segundo as sagas nórdicas colonizou um vasto território que abrangia Svartá, Svartárdalur, Vesturdalur e Reykjatungu, e em Landnámabók (livro dos assentamentos) é referido também que englobava Austurdalur, mas teve uma séria disputa territorial com Önundur vís que ocupava a parte oriental e ao conhecer as pretensões de Eiríkur, lançou flechas em chamas para o lado ocidental do rio que fazia fronteira com Austurdalur. A sua propriedade era tão grande que viu-se forçado a negociar acordos com outros outros países vizinhos pela metade dos seus territórios. O seu assentamento foi aplidado de Goðdalir (que atualmente não é mais do que o nome de uma cidade) porém inicialmente ocupava a extensão de três vales juntos.

Deteve a sua fazenda de Hóf, Vesturdalur e foi o primeiro gódi do clã familiar dos Goðdælir. Depois de concluir as tarefas de assentamento, recompensou os seus escravos com terras para que pudessem construir as suas propias casas. A figura histórica de Eiríkur e o seu pai, o colono norueguês Hróaldur Geirmundsson (n. 855), e a importância que teve na colonização da Islândia, é mencionada na saga de Grettir,[2] saga de Njál,[3] Saga de Vápnfirðinga[4] e saga de Hænsna-Þóris.[5]

Herança[editar | editar código-fonte]

Eiríkur era filho do colono norueguês Hróaldur Geirmundsson (n. 855),[6] e neto de Geirmundur Eiríksson (n. 831). Casou-se com Þuríður Þórðardóttir (n. 885), filha de Þórður Hrappsson e fruto desse relacionamento nasceram cinco filhos:[7]

  • Þorgeir Eiríksson (n. 902).[8]
  • Þorkell Eiríksson (n. 904).
  • Hróaldur Eiríksson (n. 910).
  • Starri holmgöngu Eiríksson (n. 916).
  • Gunnhildur Eiríksdóttir (n. 933), que casou com Véfróður Ævarsson.

Referências

  1. Íslendingabók og Landnámabók (1968), Jakob Benediktsson, 1907-., (1 volume in 2 parts. Reykjavík, Iceland: Íslenzka Fornritafélag, 1968), FHL book 949.12 H2bj., p. 36, 136, 139, 140, 226, 231, 203, Table 15, (89), 195.
  2. Grettis saga (filmed 1948), Valdimar Ásmundsson, (Salt Lake City, Utah: Filmet av the Genealogical Society of Utah, 1948), FHL film 73,229 item 1., p. 215.
  3. Njáls saga: the Arna-Magnæan manuscript 468, 4.º (Reykjabók) (1962), (Copenhagen: Ejnar Munksgaard, c1962), FHL book 949.12 B4m v. 6., p. 280.
  4. Vápnfirðinga saga (filmed 1948), Valdimar Ásmundsson, (Salt Lake City, Utah: Filmet av the Genealogical Society of Utah, 1948), FHL film 73,227 item 3., p. 28.
  5. Hænsa-Þóris saga (filmed 1948), Þórleifr Jónsson, (Salt Lake City, Utah: Filmet av the Genealogical Society of Utah, 1948), FHL film 73226., p. 134.
  6. Grettis saga (filmed 1948), Valdimar Ásmundsson, (Salt Lake City, Utah: Filmet av the Genealogical Society of Utah, 1948), FHL film 73,229 item 1., p. 215.
  7. Islenzkar æviskrár frá landnámstímum til ársloka 1940 (1948-1976), Páll Eggert Ólason, Jón Guðnason, and Ólafur Þ. Kristjánsson, (6 volumes. Reykjavík: Hid Íslenzka Bókmenntafélags, 1948-1952, 1976), FHL book 949.12 D3p., Vol 1, p. 410.
  8. Njáls saga: the Arna-Magnæan manuscript 468, 4.º (Reykjabók) (1962), (Copenhagen: Ejnar Munksgaard, c1962), FHL book 949.12 B4m v. 6., p. 280.